24 de Novembro, 2011 - 11:04 ( Brasília )

Fragata “União” é incorporada à força-tarefa marítima da UNIFIL


Após chegar ao Líbano, no dia 14 de novembro de 2011, a Fragata União (F-45) foi incorporada à Força-Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL). A cerimônia foi realizada no Porto de Beirute e presidida pelo Comandante da FTM, Contra-Almirante Luiz Henrique Caroli. O evento contou com a presença do Embaixador do Brasil em Beirute, Paulo Roberto Campos Tarrisse da Fontoura, acompanhado de diplomatas e funcionários da Embaixada do Brasil.

A FTM foi criada em 2006 de acordo com a Resolução 1.701/2006 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, em atendimento à solicitação do Governo Libanês. Atualmente, a Força tem sob seu comando cerca de 1.100 militares e nove navios de seis nacionalidades, sendo três da Alemanha, um da Turquia, um da Grécia, um da Indonésia, dois de Bangladesh e, agora ,um da Marinha do Brasil.

A incorporação da F-45 à FTM tem um grande significado político para o Brasil no campo das relações internacionais, na medida em que demonstra o comprometimento do País com a UNIFIL, com a manutenção da paz no Líbano e com a estabilidade do Oriente Médio.

A Fragata “União” ampliará a capacidade operacional da FTM, por ser um navio de maior porte e, consequentemente, com maiores recursos em termos de permanência, sensores e sistemas de armas. Além disso, o navio está equipado com uma aeronave “Super Linx” (AH-11A), com um Grupo de Mergulhadores de Combate (GruMeC) e com um Destacamento de Fuzileiros Navais. A Fragata será o navio capitânia e permitirá que o Comando da Força-Tarefa passe a ser exercido do mar.

As principais tarefas da F-45 no Líbano serão contribuir para evitar a entrada pelo mar de armamento não autorizado pelo Governo Libanês, por meio de Operações de Interdição Marítima; e auxiliar a Marinha Libanesa no treinamento de seu pessoal, para que ela seja capaz de controlar suas águas territoriais no futuro.

O dia 14 de novembro de 2011 ficará registrado, como o dia em que o primeiro navio de guerra da Marinha do Brasil foi incorporado a uma missão de paz das Nações Unidas. A UNIFIL foi a primeira e é a única missão da ONU a contar com um componente naval em seus contingentes. A incorporação da F-45 é um fato marcante para a história da Marinha do Brasil, pois contribuirá para elevar o nome do Brasil no cenário internacional.

F-45 recebe visita oficial do Presidente do Líbano e do Vice-Presidente do Brasil em Beirute

(Fotos 03 e 04)

No dia 21 de novembro de 2011, a Fragata “União”, Navio Capitânia da Força-Tarefa Marítima da UNIFIL, atracada no Porto de Beirute, no Líbano, recebeu em visita oficial do Presidente da República do Líbano,  Michel Sleiman, e do Vice-Presidente da República do Brasil, Michel Temer. As autoridades foram recepcionadas pelo Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra João Afonso Prado Maia de Faria, representando o Comandante da Marinha.

O Vice-Presidente da República do Brasil presidiu uma cerimônia no convés de vôo para registrar a incorporação da Fragata União à UNIFIL, onde ressaltou os fortes laços que unem os dois países e a importância da participação do navio brasileiro e da Marinha ao representar o Brasil no Líbano. Em discurso, Michel Temer mencionou que o primeiro brasileiro a integrar uma Operação de Paz do Brasil foi um Oficial da Marinha, como observador militar.

O evento contou com a presença de autoridades civis, militares e eclesiásticas, de ambos os países. Também estiveram presentes parlamentares e empresários brasileiros que integravam  a comitiva presidencial e do Force Commander da UNIFIL.

Após o termino da cerimônia, o Presidente da República do Líbano foi recebido para uma visita oficial ao Navio. Esta foi a primeira visita do Presidente Libanês a um navio da UNIFIL. Na ocasião, houve o descerramento de uma placa que registrou a presença dos dois Presidentes a bordo .

O evento inédito na história da UNIFIL, recebeu destaque da imprensa local, que confirmou o prestígio do Brasil no Líbano e comprovou a grande expectativa em relação à participação da Marinha do Brasil na Missão.

Créditos - Texto/fotos: Nomar Online - Marinha do Brasil