23 de Novembro, 2011 - 15:50 ( Brasília )

Petrobras pede novas propostas para 21 sondas


Francisco Góes e Marcelo Mota | Do Rio


A Petrobras reabriu as negociações para contratar serviços de afretamento de 21 sondas de perfuração para águas profundas a serem construídas no Brasil. A estatal decidiu pedir novas propostas aos participantes da licitação das sondas, em envelopes fechados, para tentar obter condições mais vantajosas. O objetivo da Petrobras é conseguir descontos nas propostas comerciais apresentadas na concorrência, em outubro.

Na ocasião, a operadora Ocean Rig apresentou a melhor proposta para construir e afretar à Petrobras cinco sondas por taxa média de US$ 584 mil por unidade por dia. A Sete Brasil, empresa da qual a Petrobras é sócia com bancos e fundos de pensão, fez duas propostas: uma para construir 15 navios-sonda e outra para fazer seis unidades do tipo semi-submersível. As propostas da Sete BR ficaram acima das apresentadas pela Ocean Rig.

A Sete BR questionou o resultado e pediu a desclassificação da Ocean Rig da concorrência. A Ocean Rig entrou com um pedido de impugnação do recurso da Sete BR. Em meados deste mês, em resposta a uma consulta feita pelo Valor, a Petrobras informou: "O resultado da avaliação da Petrobras ao recurso impetrado pela Sete Brasil no processo licitatório em referência foi divulgado às licitantes em 31 de outubro, no qual foi mantida a classificação original."

A reportagem voltou a procurar a Petrobras para que a empresa comentasse a decisão de pedir novas propostas na licitação, mas a estatal não respondeu. As empresas participantes também não se manifestaram. Uma fonte mostrou-se surpresa com o fato de a Petrobras pedir novas propostas em envelopes fechados ao invés de tentar reduzir preços em uma negociação direta com os participantes como costuma fazer ao contratar o afretamento de embarcações de apoio às plataformas de petróleo.

Por esse critério, a Petrobras poderia chamar o primeiro classificado para tentar reduzir o preço e depois convocar o segundo com o mesmo propósito. Outra fonte disse que já houve casos em que a Petrobras pediu novos preços em envelopes fechados para a construção de plataformas após as propostas originais terem sido divulgadas.

A nova negociação não envolve mudanças nas especificações técnicas. O processo licitatório deve ser encerrado após a entrega dos envelopes com os novos preços. Não há previsão de outra rodada de negociações depois da abertura dos envelopes. Também não está claro quando as propostas seriam recebidas e divulgadas.