12 de Novembro, 2011 - 09:27 ( Brasília )

Conselho do FMM cancela prioridades concedidas em 2009

O Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante (CDFMM) cancelou pedidos de prioridade aprovados em reunião realizada em dezembro de 2009

Revista Portos & Navios 11 Novembro 2011

O Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante (CDFMM) cancelou pedidos de prioridade aprovados em reunião realizada em dezembro de 2009. A legislação prevê que a prioridade tem prazo de 360 dias para entrar em eficácia. Esse prazo é contado em dias corridos a partir da publicação em Diário Oficial.

Com contrato assinado com a Petrobras, a Delima Comércio e Navegação teve cancelada prioridade para três navios tanque de 2,5 mil metros cúbicos e uma balsa tanque de 9 mil metros cúbicos. Os navios integram o programa EBN e devem ser construídos no estaleiro Enavi Renave.

A DSND Consub foi a empresa que teve o maior número de prioridades canceladas: nove ao todo, sendo seis UT 4000, dois PSV e um MPSV. O Conselho também cancelou a prioridade solicitada pela Starnav Serviços Marítimos, que pretendia financiar quatro embarcações do tipo PSV. Da Brasil Supply foram cancelados pedidos para dois OSRV e duas embarcações do tipo T 15.000. Já a Internav Navegação teve anulado o pedido de financiamento para a implantação de oito barcos de apoio marítimo.

A Graninter Transportes Marítimos de Granéis planejava financiar duas embarcações do tipo multi purpose de 11 mil tpb. Já a Navemar Transportes e Comércio Marítimo teve cancelado seu pedido de suplementação para alteração de potência e comprimento de um projeto aprovado na reunião de outubro de 2006. A empresa planejava construir dois rebocadores.

No segmento de apoio portuário foram canceladas prioridades da Bova Marina Transportes e Logística, para a construção de quatro rebocadores. Já Planave construiria um catamarã para transporte de cargas e com capacidade para 60 passageiros.

Estaleiros. Entre os pedidos de financiamento para estaleiro que voltaram à estaca zero estão o Eisa Alagoas, Estaleiro da Bahia (Ebasa), Estaleiro Paraguaçu, da Odebrecht e o Corema. Os três últimos têm projetos localizados na Bahia. A Wilson, Sons teve cancelada a prioridade para a construção de um parque no Rio Grande do Sul, além da implantação de um navio do tipo multi purpose de 11 mil tpb. (Da Redação)