12 de Novembro, 2011 - 09:28 ( Brasília )

FMM concede prioridade a 18 projetos


revista Portos & Navios 11 Novembro 2011

O Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante concedeu prioridade de financiamento a 18 projetos de embarcações e estaleiros. No total, os empreendimentos de 12 empresas totalizam R$2,85 bilhões. Os maiores recursos serão aplicados nos segmentos de cabotagem e apoio marítimo, respectivamente, R$ 1,60 bilhão e R$ 1,09 bilhão. Para estaleiros, o montante chega a R$72,83 milhões. Projetos de apoio portuário e navegação interior totalizam investimentos de R$ 61,33 milhões e R$29,39 milhões. A reunião do Conselho foi realizada no último dia 27 de outubro.

Duas empresas que têm contrato assinado com a Petrobras para o transporte de derivados de petróleo na cabotagem obtiveram prioridade para financiar seus navios. São elas a Kingfish do Brasil e a Pancoast Navegação. A primeira investirá R$ 1,09 bilhão para construir sete navios de 45 mil tpb e a segunda, quatro navios de 30 mil tpb, que somam investimentos da ordem de R$ 320,975 milhões.

Já a Elcano investirá R$191,358 milhões na encomenda de dois navios do tipo Kamsarmax.

No segmento de apoio marítimo, a Galáxia Marítima conseguiu emplacar quatro embarcações do tipo PSV 3100, cujos investimentos estão estimados em R$ 192,511 milhões. A Navemar Transportes e Comércio Marítimo solicitou financiamento para seis LH 2500. O valor total do projeto é de R$ 48,431 milhões. Outra empresa que recebeu prioridade foi a Brasil Supply. A empresa financiará três AHTS 18000 e três PSVs, que totalizam R$851,531 milhões.

Para embarcações de apoio portuário, o Conselho concedeu prioridade para a Rebras Rebocadores do Brasil, que será responsável pela construção de seis rebocadores de 45 tte, com valor total do projeto estimado em R$ 61,331 milhões.

A prioridade de financiamento também foi concedida para empresas que vão construir diques flutuantes. A Dock Brasil Engenharia e Serviços será responsável pela construção de três deles. Com 96 metros de comprimento, o projeto totaliza investimentos de R$ 65,484 milhões. Já a Camorim foi beneficiada com a prioridade de financiamento para a implantação de um dique flutuante com 48 metros de comprimento. A companhia deve investir cerca de R$ 7,350 milhões no projeto.

Para a navegação interior, o Conselho concedeu prioridade de financiamento a quatro empresas. Uma delas é a Hermasa Navegação da Amazônia, que vai investir R$ 15,62 milhões na construção de dez barcaças graneleiras. Já a Matapi Logística Navegação contratará um empurrador fluvial e duas balsas, que somam investimentos de R$ 5,95 milhões. A prioridade também foi concedida a Galáxia Marítima, que vai investir R$ 5,93 milhões na construção de duas balsas para carga geral. Outra empresa beneficiada com a prioridade de financiamento foi a Britamazon Indústria Comércio e Mineração. A empresa construirá uma balsa fluvial para transporte de carga seca, que totaliza investimentos de R$1,09 milhão.