16 de Novembro, 2018 - 10:35 ( Brasília )

Marinha do Brasil participa da Operação "Atlântico V"


No dia 6 de novembro, nove navios da Marinha do Brasil suspenderam do Rio de Janeiro com destino a Itaoca, no litoral do Espírito Santo. Neste ano, a Operação "Dragão XXXIX" esteve inserida na Operação "Atlântico V", um exercício conjunto coordenado pelo Ministério da Defesa, que reuniu até o dia de hoje (14), 2.845 militares da Marinha, além de efetivos do Exército e da Força Aérea Brasileira.

O dia 9 de novembro foi o Dia "D" da operação, com o desembarque das tropas de Fuzileiros Navais na praia de Itaoca. Foram 1.726 militares da Força de Fuzileiros da Esquadra, divididos em 106 viaturas operativas e 12 blindados (entre eles 8 carros lagarta anfíbios).

O foco da projeção anfíbia foi a evacuação de não-combatentes, que tem como objetivo prover a necessária segurança para a saída de brasileiros que se encontram em país estrangeiro, onde instabilidades podem colocar em risco a integridade física.

As ações em terra simularam a triagem, evacuação e retirada desses civis.

A Força-Tarefa Anfíbia, comandada pelo Contra-Almirante Paulo César Colmenero Lopes, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra (ComDiv-1), foi composta pelo Navio Doca Multipropósito "Bahia" (G40), pelo Navio de Desembarque de Carros de Combate "Almirante Saboia" (G25), pela Embarcação de Desembarque de Carga Geral "Marambaia" (L20), pela Corveta "Barroso" (V34), pela Fragata "Rademaker" (F49), pelo Navio Patrulha "Guaporé" (P45), pelo Navio de Patrulha Oceânico "Apa" (P121), com o apoio do novo navio capitânia da esquadra brasileira, o Porta Helicóptero Multipropósito "Atlântico" (A140) e do Navio de Apoio Oceânico "Purus" (G152), que atuaram como força amiga, realizando ações de desembarque de tropa (150 Fuzileiros Navais), operações aéreas e de apoio logístico.

Entre os meios aeronavais, a operação contou com 9 aeronaves da Marinha do Brasil (4 UH-15, 2 UH-12, 1 AF1, 1 AH-11A e 1 SH-16), além de aeronaves da Força Aérea Brasileira.

No dia 11 de novembro, o Ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, o Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Almirante de Esquadra Ademir Sobrinho, além de membros do Almirantado, Oficiais Superiores das Forças Singulares e demais Oficiais, estiveram na área de operações em Itaoca (ES), onde percorreram os locais das ações em terra.

Em seguida, visitaram as instalações do Navio Doca Multipropósito "Bahia", onde assistiram à simulação de uma evacuação aeromédica, com o pouso de uma aeronave da Força Aérea Brasileira, que levou um paciente para ser atendido no Complexo Hospitalar do navio, que tem 500 m², duas salas de cirurgia, UTI, capacidade para atender até 100 pacientes por dia, e reuniu médicos, enfermeiros e farmacêuticos das três Forças.