17 de Agosto, 2017 - 11:20 ( Brasília )

Começam os testes da propulsão do NDCC “Mattoso Maia”


Entre os dias 4 e 10 de agosto, o Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) “Mattoso Maia” iniciou os testes de funcionamento de dois dos seus motores diesel de propulsão. Os seis motores propulsores foram submetidos à extensa revisão geral, como parte do projeto de revitalização do navio, e serão comissionados progressivamente, ao longo do segundo semestre de 2017.

Os testes com os motores permitirão o início dos ajustes e testes de aceitação do novo sistema de controle da propulsão, desenvolvido integralmente por empresa nacional.

Além dos testes com a propulsão, também estão em andamento os serviços finais de revitalização do sistema de geração de energia pelo navio.


A nova cozinha conta agora com modernas panelas elétricas

Os três grupos diesel geradores também foram submetidos à extensa revisão geral e um dos motores já foi parcialmente testado, com sucesso. Pretende-se comissionar o sistema até o final de 2017.

O dia 4 de agosto foi um marco importante do projeto de revitalização do NDCC “Mattoso Maia”. Na data, foi inaugurada a nova cozinha do navio, pelo então Comandante em Chefe da Esquadra, Almirante de Esquadra Celso Luiz Nazareth, acompanhado do Vice-Almirante Alipio Jorge Rodrigues da Silva, atual Comandante em Chefe.

O NDCC “Mattoso Maia” (ex-USS Cayuga - LST 1186) é o primeiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome, em homenagem ao Almirante Jorge do Paço Mattoso Maia, Ministro da Marinha, no período de 1958 a 1961. Seu deslocamento padrão é de 4.975 toneladas e de 8.576 toneladas carregado. Possui 171.05m de comprimento, 21.21m de boca e 5.24m de calado máximo.

Sua Propulsão é composta de seis motores diesel ALCO 16-215, com dois eixos e hélices de passo controlado. Dentre as capacidades do navio, destaca-se a de realizar abicagem e desembarcar material e tropa diretamente no terreno, por intermédio de sua rampa de proa.  O navio é atualmente comandando pelo Capitão de Mar e Guerra Marcos Taylor Fontes.