02 de Fevereiro, 2017 - 11:00 ( Brasília )

Submarino “TUPI” atraca no porto de Mar del Plata durante ASPIRANTEX 2017


No dia 30 de janeiro, o Submarino “TUPI” (S-30) atracou no porto de Mar del Plata, na Argentina, como parte da Comissão ASPIRANTEX 2017. A operação, realizada ao longo do mês na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro e Mar del Plata, contou com a participação do S-30, de um Destacamento do Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC) e navios da Esquadra.

Durante esse período foram realizados diversos exercícios operativos e atividades marinheiras, cujo propósito foi familiarizar os Aspirantes com a vida a bordo e auxiliá-los na escolha de corpo e habilitação.

 

A bordo do “TUPI”, três Aspirantes do 3º ano da Escola Naval acompanharam uma série de exercícios no mar. Dentre eles estão: saída de porto com oposição submarina, minagem, perifoto e ataque torpédico simulado a uma unidade de superfície.

O embarque no S-30 também possibilitou experimentar a rotina de um Oficial da Armada, bem como vivenciar as atividades realizadas por um submarino operativo e sua tripulação.

O Submarino “TUPI” permanece atracado em Mar Del Plata até o dia 02 de fevereiro, quando suspenderá e demandará o Rio de Janeiro.

NTAlteGMotta faz Transferência de Óleo durante Aspirantex

A Aspirantex 2017 tem duas tarefas a serem cumpridas: adestrar os navios do Grupo Tarefa (GT) e motivar os Aspirantes da Escola Naval. Nesse sentido, ocorrem exercícios no mar e no porto. Na última fase de mar, já foram realizados exercícios de Transferência de Aguada, Search and Rescue (SAR) por aeronave e Transferência de Óleo no Mar.

O Navio Tanque Gastão Mota, que ficou imobilizado por 5 anos (para manutenções), voltou a operar e realizou a Transferência de Óleo no Mar pela popa (parte de trás do navio) para a Fragata Greenhalgh, que recebeu o combustível pela proa (frente). Esse exercício mostra que o navio está apto a reabastecer em diferentes formaturas/posições, possibilitando o aumento do tempo de permanência e distância percorrida pelos navios no mar.

Outro exercício realizado foi o de Crache, onde é simulado um pouso forçado, seguido de incêndio na aeronave a qual recebe o apoio da tripulação para controlar o fogo.

Na fase de porto, ocorreu a sabotex, atividade em que é simulada uma infiltração de pessoas não autorizadas no navio. Ainda na fase de porto, foi promovida a visitação pública com o objetivo de aproximar a população da Marinha do Brasil.

Em Itajaí e em São Francisco do Sul (SC), cerca de 7.800 pessoas visitaram os navios, NDM Bahia e as Fragatas Rademaker e Greenhalgh.