22 de Novembro, 2016 - 10:10 ( Brasília )

Corveta “Julio de Noronha” retorna ao mar


Em outubro, após pouco mais de oito anos cumprindo período de manutenção/modernização, a Corveta “Julio de Noronha” desatracou do Cais Sul do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ) para realizar um fundeio operativo nas proximidades da Escola Naval.

No período de 20 e 21 daquele mês, a “Julio de Noronha” realizou verificações de sistemas e da propulsão, além de adestramentos para o pessoal que guarnece as estações de manobra, convés, máquinas e controle de avarias, visando à experiência de máquinas para o comissionamento das unidades de controle local dos motores de combustão principais, prevista para o mês de novembro.

O resultado positivo alcançado consagrou o trabalho e o comprometimento da tripulação do navio e de todas as organizações militares envolvidas no reparo, em especial o Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro.

Navio Patrulha “Goiana” realiza “PATNAV NORTE-IX”

A comissão “PATNAV NORTE-IX” ocorreu entre os dias 3 e 13 de outubro. Nesta comissão, o Navio Patrulha “Goiana” realizou inspeção naval no litoral dos estados do Ceará, do Rio Grande do Norte e Atol das Rocas e fez ação de presença nas Bacias Petrolíferas de Paracuru e Guamaré e nos Portos de Fortaleza e Pecém.

Na ocasião, o navio notificou 20 embarcações para comparecimento às Capitanias dos Portos do Ceará, do Rio Grande do Norte e às Agências de Camocim e Aracati.

A inspeção naval é uma atribuição da Marinha do Brasil e consiste na fiscalização do cumprimento da Lei de Segurança do Tráfego Aquaviário, das normas e regulamentos dela decorrentes e dos atos e resoluções internacionais ratificados pelo Brasil, no que se refere à salvaguarda da vida humana e à segurança da navegação, no mar aberto e em hidrovias interiores, e à prevenção da poluição ambiental por parte de embarcações, plataformas fixas ou suas instalações de apoio.