25 de Outubro, 2016 - 09:10 ( Brasília )

Militares recebem qualificação para missão no Líbano

Contingente vai integrar grupo brasileiro no país em 2017 em Operação de Paz

Durante uma semana, 20 militares do futuro Estado-Maior da Força-Tarefa Marítima da UNIFIL (FTM-UNIFIL) participaram de palestras preparatórias para integrarem o 13º contingente brasileiro que parte para o Líbano no começo de 2017. Realizado no Comando-em-Chefe-da-Esquadra (ComemCh), em Niterói, o evento marcou o início da preparação do contingente.

Os militares puderam conhecer o cenário político, diplomático e estratégico do Líbano e da UNIFIL, bem como obtiveram informações sobre os procedimentos referentes à atuação do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), em apoio às Operações de Manutenção da Paz.

A abertura do estágio foi realizada por videoconferência. Diretamente de Beirute, o almirante Claudio Henrique Mello de Almeida, comandante da FTM-UNIFIL, falou para os próximos componentes da missão, a bordo da Fragata “Liberal”.

Para o comandante Leonel Mariano da Silva Júnior, futuro integrante da força tarefa, a expectativa é de crescimento profissional e pessoal. “Poder participar de uma operação de paz e contribuir com a melhoria de nossa sociedade, e especialmente da sociedade libanesa, é muito gratificante. Além de poder dar apoio para a Marinha do Brasil em uma operação real, representa uma grande conquista”, afirmou o comandante.

“Tenho uma expectativa muito boa. Espero que seja um período de crescimento profissional e pessoal, nessa experiência de conhecer e viver em uma cultura bastante diferente da nossa”, concluiu Leonel.

O evento aconteceu sob a coordenação da Subchefia de Operações de Paz, da Chefia de Operações Conjuntas (CHOC), do Ministério da Defesa, e contou com a participação do próximo comandante da FTM-UNIFIL almirante Sergio Fernando de Amaral Chaves Junior.

Também estiveram no estágio o comandante e oficiais da Fragata “União”, bem como representantes do Ministério das Relações Exteriores, da Subchefia de Inteligência de Defesa do EMCFA, do Comando de Operações Navais (ComOpNav) e do Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB).