17 de Agosto, 2011 - 00:01 ( Brasília )

HMS Queen Elizabeth - A Corrida Começou – 8 Mil Toneladas de Aço Versus 50 Ciclistas


Glasgow, Reino Unido: A enorme seção intermediária do primeiro porta-avião do Reino Unido, da Classe Queen Elizabeth, deixou hoje o estaleiro da BAE Systems, em Govan, dando início a uma jornada de 600 milhas por mar até Rosyth, onde o navio será montado. Mais de 50 ciclistas também deixaram o estaleiro nesta manhã, para percorrer, por terra, o caminho do Bloco Inferior 03, na tentativa de chegar antes no destino final em Forth e arrecadar fundos para a instituição beneficente da Marinha Real e dos Fuzileiros Navais.
 
“Este evento estabelece um importante marco – o início da fase de montagem do porta-avião HMS Queen Elizabeth. Foi feito um excelente progresso neste projeto que formará a pedra fundamental da Futura Força da Marinha Real, em 2020. Fica claramente comprovado que a indústria naval do Reino Unido detém o conhecimento especializado e a experiência necessários para executar um projeto desta magnitude e complexidade e entregar nossa nova geração de competências de ataque para porta-aviões”, afirma  o Ministro de Estratégia de Segurança Internacional do Reino Unido, Gerald Howarth.
 
“Hoje, observamos um sentimento real de orgulho no estaleiro e em toda Aliança de Porta-Aviões. Ao observarmos o Bloco Inferior 03 ser rebocado até a embocadura do Clyde, tomamos conhecimento das enormes realizações que fizemos nestes últimos dois anos, desde que a primeira peça de aço desta seção foi cortada”, complementa Steven Carroll, Diretor do Projeto da Classe Queen Elizabeth na BAE Systems.
 
“O desafio Beat the block (em português, vença o bloco) oferece a todos uma forma divertida de se envolver e é fantástico poder ver a participação de tantos ciclistas da Aliança de Porta-Aviões ajudando a arrecadar fundos para a instituição beneficente que apoia os homens e as mulheres de nossas forças armadas. Este é um grande desafio e peço ao público que expresse seu apoio sempre que a equipe passar”.
 
Desde o momento em que o Bloco Inferior 03 foi removido do galpão do estaleiro, em Govan, há duas semanas, os funcionários da BAE Systems trabalharam incansavelmente para concluir os últimos preparativos, incluindo a amarração no mar, para sua partida do Clyde. Nos próximos cinco dias, o bloco percorrerá a costa norte da Escócia, antes de sua chegada em Rosyth, no domingo, em 21 de agosto.
 
Uma semana depois, na segunda-feira, 29 de agosto, a equipe se encarregará de uma complexa operação, quando afundará a barcaça submersível, possibilitando que a seção do casco entre na água pela primeira vez. O Bloco Inferior 03 será, então, manobrado para sua posição na doca seca, onde cerca de 350 funcionários de Govan voltarão a trabalhar no bloco em parceria com funcionários da Babcock, na conclusão da fase de equipar e montar esta seção do navio.
 
O desafio Beat the block tem como objetivo levantar mais de 10 mil libras esterlinas para a instituição beneficente da Real Marinha e Fuzileiros Navais. O desafio testará a preparação e resistência dos ciclistas, viajando pelo norte da Escócia e parando somente para descansar em Fort William, Elgin, Peterhead e St. Andrews. A meta é chegar a Roysth antes do bloco, no sábado, 20 de agosto.
 
Como integrante da Aliança de Porta-Aviões, a BAE Systems trabalha em parceria com a Babcock, Thales e o Ministério da Defesa para entregar à nação suas naus capitânias. Com o trabalho de construção já adiantado em seis estaleiros no Reino Unido, o programa da Classe Queen Elizabeth provê empregos para milhares de profissionais especializados em toda a indústria.
 
Cada um dos porta-aviões de 65 mil toneladas fornecerá às Forças Armadas uma base de operações militares de quatro acres, passível de ser implantada mundialmente. Os navios serão versáteis o suficiente para serem usados em diversas operações, desde apoio a esforços de guerra até ajuda humanitária. A Classe QE atuará como a peça central da capacidade militar britânica e operará rotineiramente 12 das variantes dos jatos Joint Strike Fighter, viabilizando uma interoperabilidade imbatível com as forças aliadas.
 
Para acompanhar a jornada do bloco até Rosyth, acesse http://www.shipais.com/,seguindo o rebocador principal Eraclea (IMO: 9499656)