28 de Janeiro, 2015 - 10:00 ( Brasília )

Fragata “União” parte para integrar a Comissão UNIFIL VII da FT Marítima da UNIFIL


No dia 17 de janeiro, a Marinha do Brasil enviou a Fragata “União” para integrar a Força-Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas do Líbano (UNIFIL), na Comissão UNIFIL VII, onde substituirá a Fragata “Constituição”, que já se encontra naquela área de operação desde agosto de 2014.
 
A despedida aconteceu no cais da Base Naval do Rio de Janeiro, contando com a presença do Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Liseo Zampronio; e do Comandante da Força de Superfície, Contra-Almirante José Renato de Oliveira.
 
O navio fará escalas logísticas em Salvador (Brasil); Praia (Cabo Verde); Las Palmas (Espanha); e Nápoles (Itália). A previsão de chegada em Beirute (Líbano) é em 20 de fevereiro. 
 
Antes de sua chegada à cidade libanesa, a Fragata “União” realizará missão de ajuda humanitária, no período de 30 de janeiro a 1º de fevereiro, em razão das erupções vulcânicas ocorridas na Ilha do Fogo, no arquipélago de Cabo Verde.

UNIFIL - Comandante da Força-Tarefa Marítima recebe visita de Almirante Indonésio


 

O Comandante da Força-Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), Contra-Almirante Walter Eduardo, recebeu a bordo da Fragata "Constituição", em visita protocolar, o Contra-Almirante, Chefe de Operações Internacionais da Marinha Indonésia, Didik Wahyndi. O evento ocorreu, no dia 10 de janeiro, quando o navio estava atracado no porto de Beirute.

Em conformidade com a prática dos países componentes da UNIFIL, autoridades de países que fornecem meios e tropas para a missão, ao passarem pelo Líbano, costumam visitar seu Contingente e sua cadeia de Comando. A FTM possui em sua composição navios de seis nacionalidades, dentre eles uma Corveta da Indonésia a Sultan Skandar Muda.

O Almirante Didik afirmou estar impressionado com o trabalho que vem sendo realizado pela FTM e com o grau de integração dos navios de diferentes Marinhas: "Apesar de cada marinha ter seus próprios meios e procedimentos, elas conseguem em conjunto realizar um excelente trabalho". Ele também observou o alto padrão profissional dos militares da Marinha do Brasil, bem como a interação existente entre os dois Contingentes, resultando em uma solicitação de parceria para o adestramento da Marinha da Indonésia.

FTM-UNIFIL

Em 1978, a UNIFIL foi criada, pela Organização das Nações Unidas, com o objetivo de manter a estabilidade durante a retirada das tropas israelenses do território libanês, além de trabalhar na garantia da paz internacional. Atualmente, possui um contingente de aproximadamente 13.500 pessoas, entre militares e civis de mais de 30 países, dentre eles o Brasil. A FTM-UNIFIL, estabelecida em 2006, é a primeira Força-Tarefa Marítima, criada para integrar uma Missão de Manutenção de Paz da ONU.

Em 19 de fevereiro de 2013, foi realizada na cidade de Beirute, no Líbano, a cerimônia de passagem do cargo de Comandante da Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM-UNIFIL). Pela terceira vez consecutiva um Almirante brasileiro assumiu o comando da FTM.

A Força Tarefa Marítima é o componente naval da UNIFIL. Desde Fevereiro de 2011, a FTM encontra-se sob o comando do Brasil,inicialmente com o Contra-Almirante Luiz Henrique Caroli e atualmente sob as ordens do Contra-Almirante Wagner Lopes de Moraes Zamith.A Força Tarefa é composta de navios do Brasil, Bangladesh, Alemanha, Grecia, Indonesia e Turquia.

A Fragata Constituição é o Navio Capitânia desta Força Naval singular e pioneira nas operações de Paz da ONU. Após a Guerra do Líbano de 2006, a Força Tarefa Marítima da UNIFIL (em inglês: Maritime Task Force, ou MTF) foi criada para auxiliar a Marinha do Líbano na prevenção do contrabando de transferências ilegais em geral e embarques de armamento, em particular.

Com a sua criação, em outubro de 2006, a força era liderada pela Marinha Alemã, que também foi a principal contribuinte para a força. Os alemães lideraram a MTF até 29 de fevereiro de 2008, quando passaram o controle sobre a EUROMARFOR - uma força composta por navios de Portugal, Espanha, Itália e França (dos quais os três últimos países enviaram navios para a força no Líbano). Desde maio de 2012, a FTM é composta por 8 embarcações .