17 de Dezembro, 2014 - 12:00 ( Brasília )

Navio hidroceanográfico fluvial 'Rio Branco' é incorporado à Marinha do Brasil


Portos e Navios


A Marinha do Brasil incorpora à Armada nesta quarta-feira (17) o navio hidroceanográfico fluvial (NHoFlu) “Rio Branco”. A cerimônia de batismo, Mostra de Armamento e Transferência para o Setor Operativo acontece no Cais da Indústria Naval do Ceará (Inace), em Fortaleza (CE). A cerimônia é presidida pelo chefe do Estado-Maior da Armada, almirante-de-Esquadra Wilson Barbosa Guerra.

Com cerca de 70% de conteúdo nacional, o NHoFlu “Rio Branco” teve seu projeto de concepção realizado pelo Centro de Projetos de Navios, tendo sido posteriormente detalhado pelo estaleiro Inace, contratado após ter sido selecionado em processo licitatório. Tal comprometimento com a construção do NHoFlu pelo estaleiro demandou um incremento em sua capacidade tecnológica na construção de navios militares e de pesquisa, gerando empregos e contribuindo para o fortalecimento da indústria naval.

Destacam-se os aprimoramentos introduzidos nas linhas de casco, que possibilitaram a redução do custo de posse do navio, moderno Sistema de Controle e Monitoramento (SCM) e a incorporação tecnológica do sistema de sanitários a vácuo e de uma Unidade de Tratamento de Águas Servidas (UTAS), que incorporam importantes conceitos de sustentabilidade.

O navio possui as seguintes características: comprimento total - 47,34 metros, comprimento entre perpendiculares - 44,40 metros, boca máxima - 8,45 metros, pontal - 3,55 metros, deslocamento leve 352,9 toneladas, deslocamento carregado 610,6 toneladas, calado leve - 1,25 metro, calado carregado - 1,97 metro, tripulação: 6 oficiais, 8 SO/SG e 22 CB/MN, principais compartimentos (relacionados com a atividade fim): laboratório seco; laboratório úmido; paiol de amostras; e paiol de hidrografia.

O NHoFlu “Rio Branco” recebe o nome em homenagem ao rio homônimo, que nasce no estado de Roraima, e tem sua foz no rio Negro, e ao Barão do Rio Branco, considerado o patrono da diplomacia brasileira.

O navio será empregado na coleta de dados hidroceanográficos e em atividades inerentes à segurança da navegação. Adicionalmente, poderá ser empregado na formação e adestramento de pessoal, nas ações de presença em função de necessidades da política externa brasileira, na coleta de dados ambientais em apoio ao planejamento e à execução de operações ribeirinhas e em missões de esclarecimento. Também poderá realizar, de maneira limitada, socorro e obtenção de informações operacionais, em apoio aos órgãos governamentais, na defesa civil, nas ações cívico-sociais e na preservação do meio ambiente, bem como prover apoio logístico restrito aos avisos hidroceanográficos fluviais (AvHoFlu), durante a realização de campanhas hidroceanográficas.

A obtenção do navio está inserida no Projeto de Cartografia da Amazônia, realizado em parceria com o Exército Brasileiro, a Força Aérea Brasileira e o Serviço Geológico do Brasil, sob coordenação do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM), órgão subordinado ao Ministério da Defesa e responsável pelo repasse dos recursos financeiros.

Coube à Marinha do Brasil (MB), por meio da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), coordenar o Subprojeto de Cartografia Náutica, de modo a apresentar, como produto final dos trabalhos, cartas náuticas da Bacia Amazônica atualizadas na escala de 1:100.000.

A MB apresentou a necessidade de novos meios navais para execução dos levantamentos hidrográficos, sendo contemplada com recursos para a obtenção por construção de quatro avisos hidroceanográficos fluviais (AvHoFlu) e um navio hidroceanográfico fluvial (NHoFlu).


 

Características principais:

Comprimento Total:    47,34 m

Boca Máxima:   8,45 m

Pontal:   3,55 m

Calado Máximo:    1,90 m

Deslocamento Carregado:    559,0 t

Velocidade Máxima:  11 nós

Velocidade de Cruzeiro:   8 nós

Raio de Ação:   9255 milhas

Tripulação:  38 homens (+5 Extra)