29 de Outubro, 2014 - 11:00 ( Brasília )

Marinha do Brasil ativa o Serviço de Sinalização Náutica do Noroeste em Manaus (SSN-9)


O Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN) realizou, no dia 22 de outubro, a Mostra de Ativação do Serviço de Sinalização Náutica do Noroeste (SSN-9) e a Cerimônia de Posse de seu primeiro Encarregado, o Capitão-de-Fragata Marcelo Oro de Carvalho.

Ambas as cerimônias foram presididas pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante-de-Esquadra Carlos Augusto de Sousa. Estiveram presentes à cerimônia o Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Wilson Barbosa Guerra; o prefeito municipal de Manaus, Arthur Virgílio Neto; e o Comandante do 9º Distrito Naval, Vice-Almirante Domingos Savio Almeida Nogueira.

O SSN-9 foi criado para acelerar a produção cartográfica na região da Amazônia Ocidental (estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima). O serviço irá reprocessar os dados coletados por seus navios hidroceanográficos; editar “bacalhau” (correção de Cartas Náuticas); e executar a manutenção da sinalização náutica, bem como contribuir para a orientação e a coordenação do planejamento, controle e execução das atividades da sinalização náutica, propondo modificações aos sinais náuticos, em função de alterações de batimetria ou das características do tráfego fluvial.

Para o cumprimento dessas tarefas, esta nova Organização Militar contará com modernas instalações, equipamentos e recursos humanos especializados, apoiando o Comando do 9º Distrito Naval na condução de sua missão, constituindo-se em uma nova ferramenta voltada para a obtenção de conhecimento do cenário amazônico.

O Serviço já conta com dois Avisos Hidroceanográficos Fluviais (AvHoFlu), o “Rio Solimões” e o “Rio Negro”, para executar suas atividades, necessárias em face do crescimento substancial do volume do tráfego comercial nos rios da Amazônia e para garantir um aumento na capacidade de atualização cartográfica na região.

Além disso, encontra-se em fase de construção o Navio Hidroceanográfico Fluvial “Rio Branco” que, além de contribuir para cobrir os vazios cartográficos da região amazônica, ainda terá como tarefa a coleta de dados ambientais.

Esses navios, Hidroceanográficos Fluviais, dotados de equipamentos e mão de obra qualificada, têm a missão de executar os Levantamentos Hidroceanográficos, através de sondagens feitas dos rios da Bacia Amazônica, buscando a atualização incessante da cartografia náutica das principais hidrovias na região, pois sabemos que é de fundamental importância o conhecimento preciso e atualizado do canal de navegação dos rios amazônicos, para garantir a segurança da navegação pelos seus 22 mil km de vias navegáveis.  A carta náutica é o documento básico, orientador das embarcações que navegam pelos rios ou mares.