18 de Maio, 2005 - 12:00 ( Brasília )

Acidente a bordo do Navio-Aeródromo "São Paulo" IV



Marinha do Brasil
Serviço de Relações Públicas da Marinha

 

COMANDO DO 1º DISTRITO NAVAL
SEÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL


"NOTA A IMPRENSA Nº 04"

Rio de Janeiro, 18 de maio de 2005.

Acidente a bordo do Navio-Aeródromo "São Paulo"

Complementando as notas anteriores, atinentes ao ocorrido no Navio-Aeródromo SÃO PAULO, a MARINHA DO BRASIL comunica a situação dos militares envolvidos no acidente.

O Terceiro Sargento Anderson Fernandes do Nascimento, falecido em serviço, terá seu corpo velado e sepultado no Cemitério de INHAÚMA, Capela Santa Rita de Cássia, nº 02, às 15 horas, com as honras militares de praxe.

Os militares feridos, que tiveram seus primeiros-socorros prestados pelo navio e, posteriormente, foram evacuados por helicóptero para o Hospital Naval Marcílio Dias, apresentam os seguintes estados de saúde:

> O Cabo Daniel Pires de Andrade encontra-se internado na Unidade de Pacientes Graves (UPG), com queimadura de 2º grau superficial e profunda em face anterior de região cervical, face anterior de tórax, períneo, face anterior de membros superiores e face anterior de membros inferiores. A superfície corporal queimada (SCQ) é de, aproximadamente, 50%. Encontra-se sedado, respirando com a ajuda de aparelhos, sendo seu quadro clínico qualificado no momento: “grave com estabilidade clínica”;

> O Cabo José Roberto da Silva Bahia encontra-se na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), apresentando queimadura superficial e profunda de 2º grau em face, região dorsal, região posterior de braços e região anterior e posterior de antebraços, região glútea e região anterior e posterior de membros inferiores. A SCQ é de, aproximadamente, de 81%. Encontra-se estável do ponto de vista respiratório e hemodinâmico, sendo o quadro clínico qualificado, no momento, “grave com estabilidade clínica”;

> O Cabo Erivelton dos Santos Coelho está internado na UPG, com queimadura de 2º grau superficial e profunda em face, região anterior do tórax e abdômem e lesões esparsas em região anterior de membros superiores e inferiores. A SCQ é de, aproximadamente, 45%. Apresenta melhora progressiva, respirando sem a ajuda de equipamentos. Quadro clínico “regular estável”;

> O Cabo Ângelo José Moraes dos Anjos encontra-se, na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), com queimadura de 2º grau superficial e profunda na face, pavilhão auricular, região cervical anterior e mãos. A SCQ é de, aproximadamente, 8%. Avaliado pela Oftamologia que constatou córnea íntegra à inspeção. Em uso de medicação oftamológica. Evolui satisfatoriamente com queixas álgicas. Quadro clínico “regular estável”; e

> O Marinheiro Felipe Machado da Rocha, que se encontra na UTQ, apresenta queimadura de 2º grau superficial e profunda na face, pavilhão auricular, região cervical anterior e posterior, antebraço e mãos. A SCQ é de, aproximadamente,12%. Avaliado pela Oftamologia que constatou córnea íntegra à inspeção. Em uso de medicação oftamológica. Evolui satisfatoriamente com queixas álgicas. Quadro clínico “regular estável”.

O quadro clínico apresentado pelos cinco militares que permaneceram a bordo foi de pequenas queimaduras e escoriações que, por não apresentarem gravidade, permitiu o atendimento pela enfermaria de bordo. Logo após a atracação do navio, no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, os militares foram licenciados e já se encontram em suas residências, junto aos familiares.

CARLOS ALBERTO MACEDO JÚNIOR
CAPITÃO-DE-CORVETA
ENCARREGADO DA SEÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL