12 de Outubro, 2013 - 14:50 ( Brasília )

Navio-Balizador “Comandante Manhães” volta a operar no Com3ºDN


Após o retorno de cerca de 7 meses de comissão para o Rio de Janeiro, ocasião em que teve seu sistema de propulsão totalmente alinhado pelo Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ), o Navio-Balizador “Comandante Manhães” voltou a operar em águas jurisdicionais do Comando do 3º Distrito Naval (Com3°DN).
 
No período de 26 de agosto a 1º de setembro, o Navio realizou o rodízio da boia luminosa (BL) C. S. Comandante Martini, em Macau-RN; realizou, também, o lançamento da BL Santo Antônio no Arquipélago Fernando de Noronha (AFN); e efetuou o restabelecimento dos Faróis Rata e Fernando de Noronha, ambos no AFN, contribuindo para a segurança da navegação nas águas jurisdicionais da região.
 
Para o restabelecimento do Farol Fernando de Noronha, o Navio contou com o apoio dos militares da Equipe da Capitania dos Portos de Pernambuco (CPPE) no AFN e também de funcionários do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICM-Bio), que foi essencial para adentrar na trilha da mata e acessar o Farol.       
 
Com ambos os faróis acesos e com a boia de perigo isolado lançada, sinalizando a existência de um casco soçobrado nas proximidades do porto, o AFN voltou a prover plena segurança a todas as embarcações que operam no Porto de Santo Antônio, seja para o turismo, seja para o recebimento da quase totalidade do material que abastece as Ilhas do Arquipélago.  Segundo o Comandante do Navio, Capitão-Tenente Guilherme dos Santos Ribeiro, casco soçobrado “é quando um navio afunda em águas rasas e seu casco fica próximo à superfície da água. Quando a posição deles é numa área de tráfego intenso, isto representa um perigo à navegação e deve ser sinalizado por boia.”