10 de Junho, 2013 - 09:43 ( Brasília )

Alunos da Escola Naval recebem espadim e são oficialmente incorporados à Marinha


ob os olhares atentos de familiares e amigos, 217 alunos da Escola Naval receberam o espadim no último sábado (08), em ato que marca o início de sua jornada acadêmica na instituição da Marinha do Brasil.

Os alunos cursam o primeiro ano da Escola e fazem parte da turma “Almirante Carvalhal”. São 211 brasileiros e seis estrangeiros, provenientes da Namíbia, Angola, Senegal e Venezuela. A solenidade realizada no Rio de Janeiro marca também a incorporação oficial dos jovens brasileiros à Marinha.

Ao presidir a cerimônia, o ministro da Defesa, Celso Amorim, destacou que os aspirantes servirão a uma nova Marinha, atualmente em fase de transformação. “O submarino de propulsão nuclear dará novo alcance à estratégia dissuasória brasileira. Em breve, a 2ª Esquadra ampliará a capacidade da Força de guardar as nossas águas. A participação da Marinha no componente naval da Unifil, no Líbano, já projeta o Brasil em um dos mais tradicionais tabuleiros geopolíticos do mundo: o mar Mediterrâneo”, afirmou.

Amorim disse também que os alunos desempenharão, em suas carreiras, tarefas essenciais para a proteção das águas jurisdicionais do país. Destacou, ainda, a presença de aspirantes de nações-amigas. Para ele, esse intercâmbio “sublinha a importância que atribuímos à relação com os países que, de uma forma ou de outra, integram o Atlântico Sul não limitado à linha do Equador, mas no sentido mais completo”.

Cerimônia

A solenidade teve início com a entrada cadenciada dos alunos, que cantavam a música “Viva a Marinha”. Após o posicionamento no pátio de formatura, os aspirantes entoaram o Hino Nacional. Depois, ouviram palavras de incentivo do comandante da Força Naval, almirante Julio Soares de Moura Neto, e do comandante da Escola Naval, almirante Antonio Carlos Soares Guerreiro. Por fim, fizeram também o tradicional juramento à Bandeira Nacional. 


Em seu discurso, o almirante Moura Neto explicou que, a partir de agora, os “sentinelas dos mares” e “chefes do futuro” terão desafios e responsabilidades para cumprir. E uma delas será a proteção da Amazônia Azul, área marítima de 4,5 milhões de quilômetros quadrados que corresponde, em tamanho, à Amazônia terrestre. “Desde cedo vocês deverão estar permanentemente atentos a todos os aspectos que digam respeito a esse imenso patrimônio”.

O evento, que teve sobrevoo de uma aeronave MH-16 SeaHawk, foi encerrado com desfile dos aspirantes em continência à Bandeira Nacional. Além de militares de alta patente da Marinha, estiveram presentes à cerimônia o comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, e o ministro do Superior Tribunal Militar almirante Alvaro Luiz Pinto.