COBERTURA ESPECIAL - Especial MOUT - Terrestre

29 de Junho, 2018 - 11:15 ( Brasília )

Quase 9 mil armas, muitas delas apreendidas em atividades criminosas, são destruídas no Rio


Na manhã de 20 de junho de 2018, foi realizada, no Batalhão de Manutenção e Suprimento de Armamento (BMSA), a Operação Vulcão, coordenada pelo Comando Militar do Leste (CML), por meio do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados da 1ª Região Militar (SFPC/1), com o apoio dos órgãos de segurança pública e agências governamentais.

A Operação consistiu na destruição pública de 8.549 armas inservíveis, apreendidas em atividades criminosas ou entregues voluntariamente por cidadãos por meio da Campanha do Desarmamento, bem como de cerca de 2.000 armas obsoletas inservíveis, que foram recolhidas de Batalhões da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMRJ).

O recolhimento de armas inservíveis para atividade policial faz parte das ações estruturantes de natureza administrativa, conduzidas pelo Gabinete de Intervenção Federal, nos Batalhões de Bangu (14° BPM), Jacarepaguá (18° BPM), Batalhão de Operações Policias Especiais (BOPE) e Batalhão de Choque. A ação tem por objetivo desonerar o patrimônio da PMRJ, contribuindo com o melhor gerenciamento e controle do Material Bélico.

Estiveram presentes na solenidade de destruição do armamento o Comandante da 1° Região Militar, General de Divisão Fernando Jose Sant’Ana Soares e Silva, e comandantes de organizações mmilitares da Guarnição. A cerimônia foi acompanhada, ainda, por vários órgãos da imprensa, sendo a matéria divulgada em rede nacional.

Os armamentos foram destruídos com a passagem de um rolo compressor e, porteriormente, serão incinerados em alto-fornos de siderúrgicas.