COBERTURA ESPECIAL - Especial MOUT - Defesa

15 de Fevereiro, 2017 - 10:50 ( Brasília )

Jungmann anuncia que GLO no Espírito Santo será prorrogada


Roberto Cordeiro

Apesar de o cenário da segurança pública no estado do Espírito Santo estar em processo de normalização, as Forças Armadas vão ser mantidas por mais alguns dias. O anúncio foi feito pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, durante entrevista coletiva, nesta terça-feira (14), na sede do Comando Militar do Leste (CML), no Rio de Janeiro.

“Nós vamos prorrogar a GLO (Garantia da Lei e da Ordem). O governo estadual ainda precisa de mais uns dias para ter o controle da segurança pública”, afirmou Jungmann.

A autorização para a permanência das tropas federais termina na próxima quinta-feira (16). Segundo Jungmann, agora será feito o planejamento para definir por mais quantos dias as Forças Armadas permanecerão no estado. “Sempre afirmamos que estaríamos lá pelo tempo necessário para reestabelecer a segurança pública”, contou.

O ministro da Defesa recebeu uma avaliação sobre a situação das tropas no Espírito Santo, que se encontra sob jurisdição do CML. Os militares informaram que aumentou consideravelmente a sensação de segurança na população. Dois incidentes foram registrados nas últimas horas referentes à tentativa de atear fogo em ônibus na Grande Vitória.

Ações de repressão

O comando da Operação Capixaba intensificou, nesta terça-feira (14), as ações de repressão, após episódios de violência e ataques a ônibus, ocorrido na Grande Vitória. Para isso, as Forças Armadas estão utilizando viaturas, blindados e mais de 170 homens, tropas especializadas da Marinha e do Exército. Conta ainda com um aparato de inteligência, em parceria com outros órgãos de segurança pública.

Ontem, mais 507 policiais militares se apresentaram para trabalhar. No total, já são 1.743 PMs, que estão de volta às ruas.  Esses homens voltam a atuar em áreas sensíveis da região, permitindo o desdobramento das Forças Armadas e Força Nacional em outras áreas. Desde segunda-feira (13), o transporte público voltou a operar normalmente e as escolas retornaram às aulas. Os setores públicos, como hospitais, poder judiciário e comércio também voltaram a funcionar.

Operação Capixaba

A Operação Capixaba começou na segunda-feira (6), após pedido do governador em exercício Cesar Colnago ao presidente Michel Temer. O decreto Presidencial foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União. Na mesma data, o ministro Jungmann esteve em Vitória onde acompanhou de perto as providências para o início da operação.

“Lembro que, naquela segunda, vimos uma cidade fantasma. Não tinha ninguém nas ruas. Nem os peladeiros, que costumam frequentar as praias. No sábado, circulamos por Vitória e Vila Velha, e constatamos a volta à normalidade por parte da população”, explicou o ministro.

A permanência das Forças Armadas no Espírito Santo se dará até que o impasse criado pela PM seja contornado. O aquartelamento da PM se deu a partir do momento em que familiares fizeram bloqueios nas entradas dos batalhões, ação que foi utilizada para que estes policiais não saíssem dos quarteis.

Ação mais contundente do governador licenciado Paulo Hartung esta possibilitando o entendimento com parte do efetivo da PM. Segundo avaliação, nesta terça-feira, 920 policiais militares já tinham retomado suas atividades. Mesmo assim, os 3.130 militares das Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança Pública permanecerão do território capixaba.