COBERTURA ESPECIAL - Especial MOUT - Segurança

16 de Abril, 2014 - 15:20 ( Brasília )

BAHIA - Mobilizados 2,5 mil militares das Forças Armadas



Nota DefesaNet - Fotografia substituídas por serem de arquivo da Operação em 2012.


Brasília, 16/04/2014 – As Forças Armadas já mobilizam 2,5 mil militares para atuar em Garantia da Lei e da Ordem (GLO), no estado da Bahia. No entanto, o efetivo pode ser ampliado de acordo com as necessidades do comando, sediado em Salvador (BA). A operação militar foi autorizada pela presidenta Dilma Rousseff a partir de pedido do governador Jaques Wagner. A atuação das tropas acontece em razão da greve da Polícia Militar, deflagrada nessa quarta-feira (16).

Além das Forças Armadas, a mobilização prevê o emprego de 250 militares da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP). O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi, têm reunião, amanhã (17), com o governador Jaques Wagner, em Salvador (BA), ocasião em que discutirão o detalhamento da operação.

De acordo com o Aviso nº 125, do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), o emprego das tropas tem por objetivo “restabelecer as condições de normalidade no estado da Bahia, prioritariamente na sua capital e englobando as missões previstas na Exposição de Motivos nº 41, em coordenação com os órgãos de segurança pública municipais, estaduais e federais”.

Desde fevereiro deste ano, as Forças Armadas atuam em garantia da lei e da ordem no Sul da Bahia, nas proximidades do município de Ilhéus, com 453 militares e 267 integrantes de órgãos de segurança pública. Com a nova determinação da presidenta Dilma, a GLO se estende para todo o território baiano “até que se restabeleçam as condições de normalidade”.

A outra missão de GLO ocorre no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, com a participação de 2.450 militares da Marinha e do Exército e mais 200 policiais militares. Essa ação se dá na região de 15 comunidades da maré com prazo de duração fixado até 31 de julho.

Operação Bahia 2014

A Operação Bahia 2014 começou a ser articulada na noite de ontem (15), quando o governador Jaques Wagner iniciou os entendimentos com o Palácio do Planalto. A articulação se deu por causa da greve da Polícia Militar baiana. A operação em todo o território baiano ocorre há mais de dois anos após a última greve geral da PM.

O desembarque dos militares começou a ser feito a partir de 5h da madrugada desta quarta-feira. Os militares da 11ª Brigada de Infantaria Leve, oriunda do Vale do Paraíba, e do Comando Militar do Nordeste (CMNE) desembarcaram na Base Aérea de Salvador. Da capital baiana, o efetivo vem sendo distribuído de acordo com o planejamento feito pelo Comando de Operações Terrestres (Coter).

Caberá ao general Racine Bezerra Lima Filho o comando da operação. A atuação das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) tem base em dispositivos da Lei Complementar nº 97/99 e no Decreto nº 3.897/2001. Com isso, os militares passam a atuar no comando das ações de segurança pública, como vistoria, patrulha e prisão em flagrante.

Notas DefesaNet

Recomendamos a leitura das matérias:

As Recorrentes Greves das PMs, Trazem Algo Mais Link

DefesaNet EDITORIAL - CEARÁ - Exército Desmoralizado 05 Janeiro 2012 Link

ANÁLISE - A GREVE NAS POLÍCIAS MILITARES - Evolução e Perspectivas André Luís Woloszyn Janeiro 2012 Link



Outras coberturas especiais


Guerra Hibrida Brasil

Guerra Hibrida Brasil

Última atualização 18 OUT, 09:45

MAIS LIDAS

Especial MOUT