COBERTURA ESPECIAL - Aço - Leopard 1A5Br - Terrestre

04 de Outubro, 2012 - 11:21 ( Brasília )

KMW lança a pedra fundamental da fábrica de Santa Maria

Empresa alemã deve começar as obras até o fim do ano no terreno às margens da BR-287

Juliana Gelatti / Deni Zolin

A fábrica alemã de blindados Krauss-Maffei Wegmann (KMW) lançou, na manhã da terça-feira passada (02 de outubro), a pedra fundamental do centro de desenvolvimento, manutenção e fabricação da KMW do Brasil. Com a presença de autoridades locais e militares, os diretores da empresa mostraram o projeto da primeira fábrica da KMW que será construída em outro país totalmente do início.

A empresa já tem mais de 170 anos de história e tem sede em Munique, na Bavária, sul da Alemanha, e filiais em outros cinco países.


500 empregos até 2017, diz a KMW

O presidente mundial da fabricante de veículos blindados Krauss-Maffei Wegmann (KMW), o alemão Frank Haun, chegou a Santa Maria em um jato particular ontem pela manhã, para uma visita surpresa. Ele veio à cidade para olhar dois terrenos. Um deles será comprado até o final de abril – a localização é mantida em sigilo. No local, a KMW construirá um prédio e uma pista de testes de 800 a mil metros para fazer a manutenção dos 220 blindados Leopard comprados pelo Exército. A intenção é inaugurar sua sede em Santa Maria entre setembro e dezembro deste ano.

Haun veio a Santa Maria para conferir de perto os terrenos que estão sendo analisados para compra. Ele foi recebido pelo prefeito Cezar Schirmer (PMDB) e pelo gerente da KMW do Brasil, Christian Böge. Eles ainda visitaram o Parque de Manutenção do Exército Brasileiro.

– Minha impressão é muito positiva de Santa Maria, pois a cidade tem universidades e pessoas muito bem formadas – afirmou Haun.

Ele disse que projeto da KMW para Santa Maria prevê investimentos pelos próximos 20 anos. Nessa primeira fase, está prevista a construção do prédio e da pista de testes para fazer a manutenção dos 220 Leopard. Esse trabalho deve começar até o final do ano, quando a empresa deve passar dos atuais oito empregados para 24 a 30 funcionários em Santa Maria.

Depois, na segunda fase, os planos da KMW preveem que, entre três e cinco anos, a empresa passe a ter aqui na cidade um centro de desenvolvimento e produção de simuladores de aviões e helicópteros, além de um centro de fabricação de algum veículo blindado, para ser vendido para o Brasil e a América do Sul.

– No meu ponto de vista, nos próximos cinco anos, nós teremos, ao menos, 200, 300, 400 ou 500 funcionários aqui – afirmou Haun, lembrando que a maioria será de engenheiro e técnicos e que o número dependerá do volume de contratos de venda obtidos.

Mais empresas – A multinacional alemã afirmou que, após anunciar sua vinda para Santa Maria, em 2011, outras empresas da Bélgica, França e Holanda demonstraram interesse em se instalar no Brasil, havendo uma chance de virem para Santa Maria. Essas empresas são fornecedoras de peças para a KMW na Alemanha e pretendem fornecer suprimentos para a futura fábrica santa-mariense. Às 17h, Haun partiu em um jatinho particular para São Paulo, onde teria seu segundo compromisso no país. Como lembrança da cidade, recebeu um pala de Schirmer.



 

DefesaNet

KMW - Discurso de Christian Böge Diretor-Geral Brasil Link

KMW - Discurso do CEO Frank Haun Link

Os planos do investimento da KMW em Santa Maria Link

KMW lança a pedra fundamental da fábrica de Santa Maria Link