COBERTURA ESPECIAL - Aço - Leopard 1A5Br - Terrestre

12 de Agosto, 2019 - 09:00 ( Brasília )

Quanto consomem os Carros de Combate do EB?

M60 têm consumo elevadíssimo, mas o lance deles não é economizar


Julio Cabral
Auto Esporte

Carros de combate (CC) se dividem em várias classes, mas nenhuma delas é maior do que os Main Battle Tanks (MBT). São os chamados tanques principais de combate. O EB (Exército Brasileiro) adotou recentemente centenas de modelos do tipo.Quanto o M60A3TTS o Brasil adquiriru cerca de 90 carros nos anos 90. O leopardo 1 teve dois fornecimentos um dos estoque da Bégica nos anos 90 (a maioria já desativado) e mais recentemente o modernizao Leopard 1A5BR dos estoques do Exército Alemão. Forma cerca de 250 carros incluindo versões especializadas (ponte, engenharia, etc)

Os principais são o alemão Leopard 1A5BR e o norte-americano M60 A3 TTS (Tank Therma Sight), uma versão modernizada do clássico Patton. Diante do porte gigantesco das Viaturas Blindadas de Combate Carros de Combate (VBCCC na sigla do Exército Brasileiro), Autoesporte se deparou com uma curiosidade: quanto consomem esses veículos?

Perguntamos ao serviço de assessoria de imprensa do Exército Brasileiro, que nos respondeu de bate pronto. O Leopard 1A5B faz cerca de 0,4 km/l, enquanto o maior M60 A3 consome um pouco mais, estimados 0,3 km/l. Ambos são movidos a diesel e têm tanques de combustível enormes para lidar com a sede (o M60 tem cerca de 1.400 litros e o Leopard pouco menos de 1.000 litros). E a autonomia chega a 450 km no caso do Leopard 1, enquanto o M60 Patton chega a 500 km.


 

 



É uma média de consumo elevadíssima, mas os números não são muito diferentes de outros veículos pesados. E bota pesado nisso, enquanto o Leopard pesa cerca de 42 toneladas, o M60 chega a 52 toneladas.

Não é mole levar nas costas uma blindagem pesada, com espessura mínima de 10 centímetros. Além de quatro tribulates e um canhão de 105 mm, entre outras tecnologias, exemplo da visão noturna.

Além disso, ambos têm motores enormes. O propulsor MTU 10 cilindros original do Leopard tem 37 litros e gera aproximadamente 850 cv. Já o M60 Patton conta com motor V12 de 29 litros é o Teledyne Continental que desenvolve 750 CV.

Além do Diesel há a possibilidade de usar outros combustíveis (gasolina, querosene incluindo a de aviação),  afeta a performance mas permite a viatura continuar operando.

Curiosamente, os motores a diesel ainda são mais econômicos do que a turbina a gás do M1 Abrams, sucessor do M60 no Exército dos Estados Unidos. Tanto o M60 A3TTS como o M1 Abrams são produzidos pela General Dynamics Land Systems.  Já o Leopard foi produzido na Alemanha pela KMW.

Quanto ao desempenho, o mais "leve" e potente Leopard 1 faz até 65 km/h na estrada. O M60 Patton chega a 45 km/h. Mas duvidamos que alguém não desse passagem para um desses megaveículos.

Uma característica interessante é que o M60A3 TTS não parte se não tiver uma quantidade mínima de combustível nos tanques de combustível.

Porém a maior parte do consumo não é em deslocamentos, mas parados em vigilância. Manter os sistema de visão termográficos monitorando o campo de batalha, dia e noite, sistemas de comunicação, etc. Os dois Carros de Combate M60A3 TTS e o Leopard 1A5BR não possuem APU (Gerador de Energia Auxiliar), sendo necessário acionar o motor para gerar energia para abastecer os sistemas eletrônicos.

 

Força no bruta: tanto o M60 quanto o Leopard contam com enormes motores diesel
 
(Fotos: Exército Brasileiro/Divulgação)

VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Fogo-Fire-Feuer-Feu

Fogo-Fire-Feuer-Feu

Última atualização 19 SET, 13:00

MAIS LIDAS

Aço - Leopard 1A5Br