COBERTURA ESPECIAL - Aço - Leopard 1A5Br - Terrestre

03 de Novembro, 2015 - 10:30 ( Brasília )

O Gerente de Frota da Tropa Blindada


Alex Alexandre de Mesquita
TC Comandante do Centro de Instrução de Blindados
com a colaboração do Cap QMB Dante Gauto Storti Instrutor do CI Bld


A utilização de Produtos de Defesa (PRODE) cada vez mais sofisticados e possuidores de complexos sistemas eletroeletrônicos demanda um rigoroso controle na execução da manutenção e operação dos mesmos.

A adoção da família Leopard 1 BR serviu como um grande motivador para que os Regimentos de Carros de Combate (RCC) e as duas Brigadas Blindadas (Bda Bld) iniciassem um processo de controle da disponibilidade e da manutenção das viaturas, por força do contrato de suporte logístico.

Dessa forma, surgiu a necessidade de se criar a figura do Gerente de Frota da Tropa Blindada nas Organizações Militares (OM) detentoras das Viaturas Blindadas da família Leopard 1 BR e nas respectivas Brigadas.

Entre as atribuições do Gerente de Frota, pode-se citar o gerenciamento da manutenção da frota sob sua responsabilidade, o controle do emprego destas Viaturas Blindadas (VB), a atualização dos dados provenientes destas duas atividades em um software de gerenciamento da frota blindada e o planejamento e a execução das
manutenções previstas.

O referido software foi desenvolvido pelo Escritório de Ligação da Diretoria de Material, a fim de se registrar todos os eventos de manutenção e estabelecer controle sob os parâmetros de utilização das VB da família Leopard 1BR.

Os dados registrados podem ser acessados diretamente pela Diretoria de Material (DMAT) e pelo Comando Logístico (COLOG), que ao monitorarem as atividades contribuem para o sucesso do Suporte Logístico Integrado (SLI).

No que diz respeito à atividade de operação da VB, o Gerente de Frota assessora o Comandante de OM no intuito de garantir o adestramento da tropa, sem ultrapassar os limites estabelecidos pelo Regime de Utilização Máximo (RUM) de cada VB.

O respeito aos limites estipulados como RUM garante uma maior disponibilidade das VB, reduzindo a necessidade de manutenções corretivas, reduzindo custos na manutenção da frota e possibilitando uma maior vida útil das VB.

Na maioria das OM detentoras de VB da família Leopard 1 BR, o militar que possui a função de Gerente de Frota é um dos Comandantes de Subunidade. Este militar, além de possuir relativa experiência profissional e autonomia, é peça integrante do sistema em sua OM.

O Gerente de Frota, entre outros encargos, participa constantemente de reuniões e simpósios organizados pela Diretoria de Material e pelo Comando Militar do Sul com vistas à otimizar as atividades de manutenção e operação de VB.

Manter-se sempre atualizado e difundir estes conhecimentos em sua OM é outra atribuição importante na vida do Gerente de Frota.

É notória a importância da presença do Gerente de Frota nas OM detentoras das VB da família Leopard 1 BR como assessor do Comandante nos assuntos ligados à manutenção e operação destas VB.

O sucesso desta nova prática de gerenciamento e controle está trazendo importantes resultados para a operatividade das brigadas blindadas, a ponto de ser adotado para a Nova Família de Blindados
de Rodas, a Família Guarani.

Atualmente, as OM dotadas da VBTP-MR 6X6 Guarani também possuem um software, semelhante ao anteriormente citado, para apoiar as atividades de manutenção e de controle da frota.

A VBTP ainda não foi oficialmente adotada pelo Exército Brasileiro, por isso o seu controle é realizado pelo Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT), o qual ainda é o responsável por toda a frota.

Contudo, em breve, o Guarani passará a ser controlado pela D Mat. Porém, para que a missão do Gerente de Frota seja mais efetiva e exitosa, é necessário que o mesmo seja possuidor de noções de gerenciamento, manutenção e operação das VB da família Leopard 1 BR.

Aos Comandantes em todos os níveis cabe auditar periodicamente o trabalho de registro de dados e de efetividade da manutenção. O Gerente de Frota é um elemento novo, mas que realiza atividades já consagradas no EB e que, neste momento de transformação, carecem de novos processos.

Contudo, o lema da Logística Militar permanece o guia de todas estas atividades:

PREVER, PROVER E MANTER!