COBERTURA ESPECIAL - Aço - Leopard 1A5Br - Terrestre

10 de Agosto, 2015 - 10:30 ( Brasília )

A 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea evidencia seu poder de fogo no Campo de Instrução de Formosa


A Estratégia Nacional de Defesa, aprovada em 2008, ressalta a necessidade de modernização e transformação das Forças Armadas com o objetivo de estarem em melhores condições de enfrentar os desafios atuais.

Atento a esta necessidade, o Exército Brasileiro vem reequipando suas organizações militares (OM) de Artilharia Antiaérea mediante a aquisição de novos meios, a modernização dos materiais existentes, o desenvolvimento tecnológico de itens específicos pelo fomento à Indústria Nacional de Defesa, a capacitação de pessoal e a implantação de um Sistema Logístico Integrado.

A opção pela aquisição de modernos equipamentos de Defesa Antiaérea (DAAe) e a sua nacionalização, além de considerar o que há de mais atual no segmento de defesa, permitirá que o Exército Brasileiro cumpra, com elevadíssima margem de sucesso, as missões militares inerentes ao componente terrestre da defesa aeroespacial: proteger as estruturas estratégicas do País, além de instalações, órgãos e tropas de interesse da Força Terrestre Componente contra vetores aéreos hostis.

A Artilharia Antiaérea do Exército participa deste processo de evolução com o desenvolvimento e a execução de projetos genuinamente nacionais, como os dos novos radares de busca e de vigilância e os novos Centros de Operações Antiaéreas, contribuindo com a Nação brasileira no aprimoramento do setor técnico-científico industrial e com a base industrial de defesa.

Com o intuito de instruir, preparar e adestrar as organizações militares antiaéreas brasileiras, a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, diretamente subordinada ao Comando Militar do Sudeste, realiza, anualmente, uma Escola de Fogo de Instrução.

No corrente ano, essa Escola de Fogo foi realizada no Campo de Instrução de Formosa, de 1º a 5 de agosto, com a coordenação da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea e o apoio das diversas Regiões Militares envolvidas. A organização e a montagem de todo o dispositivo ficaram a cargo do 11º Grupo de Artilharia Antiaérea. Estiveram presentes todas as Unidades e Subunidades de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro, bem como a Escola responsável pela formação dos artilheiros antiaéreos da Marinha, Exército e Aeronáutica – Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea.

Nesse exercício, foram realizados tiros do Canhão Automático Antiaéreo Boffors C-70 de 40 mm, do míssil IGLA 9K338, da Viatura Blindada de Combate Antiaérea GEPARD e do míssil RBS-70, sendo os dois últimos materiais recentes aquisições do Exército Brasileiro.

Desta forma, a Artilharia Antiaérea do Exército, elo fundamental da defesa aeroespacial brasileira, torna-se ainda mais preparada para atingir seus objetivos, atendendo assim às demandas relativas ao cumprimento da missão constitucional do Exército Brasileiro.

Prestigiaram o evento o Ministro de Estado da Defesa, o Comandante do Exército e o Comandante Militar do Sudeste, dentre outras autoridades militares.