COBERTURA ESPECIAL - Aço - Leopard 1A5Br - Terrestre

22 de Outubro, 2014 - 20:50 ( Brasília )

3ª Divisão de Exército - “Divisão Encouraçada” na Operação Ibicuí


Amanhã, 23 de outubro, terminará a Operação Ibicuí. A Operação militar está sendo realizada no Campo de Instrução Barão de São Borja (Saicã), em Rosário do Sul, e conta com a participação de militares de Santa Maria, Santiago, Uruguaiana, Bagé, Pelotas, Cruz Alta, Porto Alegre, Caxias do Sul, Santo Ângelo e Campo Grande-MS, todos sob o comando operacional da 3ª Divisão de Exército - “Divisão Encouraçada”.

A Operação tem por objetivo adestrar os comandos e os Estados-Maiores das Grande Unidades participantes e executar, no terreno, ações táticas em um quadro de combate convencional. Aproximadamente 5.200 militares estão participando do Exercício e estão sendo utilizadas mais de 1.100 viaturas, sendo 156 Blindados.

Estabelecimento da cabeça de ponte

A fim de contribuir com o reestabelecimento da fronteira do país Azul, a 3ª Divisão de Exército empregou em 1º escalão a 8ª Brigada de Infantaria Motorizada e a 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada para conquistar os objetivos estabelecidos na margem oeste do Rio Santa Maria. Durante o ataque, a 3ª Brigada de Cavalaria Mecanizada permaneceu em reserva.

Para o estabelecimento da cabeça de ponte, a manobra contou ainda com a participação dos Sistemas Operacionais Inteligência, Apoio de Fogo, MCP (Mobilidade, Contra-mobildade e Proteção), Comando e Controle, e Logística.

Além disso, houve importante participação do 1º e 3º/10º Grupo de Aviação (GAV) da Força Aérea Brasileira em missões de ataque, reconhecimento e apoio aéreo aproximado com guiamento aéreo do Esquadrão Aéreo Terrestre de Salvamento (EAS-PARASAR). O 1º/12ºGAV realizou ações de reconhecimento aéreo, utilizando aeronaves remotamente pilotadas.

3º GAAAe  realiza a Defesa Antiaérea na Zona de Ação

O 3º Grupo de Artilharia Antiaérea (3º GAAAe), sediado em Caxias do Sul, atua na Operação Ibicuí como Grupo de Artilharia Antiaérea orgânico de uma Divisão de Exército.

A sua missão é a de realizar a Defesa de Artilharia Antiaérea (DAAe) de pontos sensíveis de interesse fundamental para o desenvolvimento da manobra da 3ª Divisão de Exército (3ª DE), como também reforçar os meios de DAAe de suas Brigadas orgânicas. 

Para a Operação Ibicuî, o 3º GAAAe desdobrou no terreno o comando e estado-maior e uma Bateria de Mísseis a duas Seções. Esta, possui um Radar SABER M60 (radar de busca com alcance de 60 km), 2 Centro de Operações Antiaéreas eletrônicos e 8 Unidades de Tiro do Sistema de Mísseis portáteis IGLA-S, com alcance de 6 km.