COBERTURA ESPECIAL - Le Bourget - Aviação

21 de Junho, 2013 - 13:16 ( Brasília )

Uma intriga à volta do MS-21 em Le Bourget


Oleg Nekhai

O avião perspectivo de curto e médio alcance russo MS-21, com capacidade para 150-215 lugares, provocou um grande interesse em Le Bourget. O aparelho está sendo desenvolvido pela Corporação Irkut.

A "Aeronave Comercial do Século 21", que é o que significa a abreviatura MS-21, deverá possuir um motor do futuro correspondente. Por isso, todos querem saber qual será o motor do novo aparelho. A Corporação Irkut sabia que dificilmente seria possível fabricar um avião com um motor estrangeiro, refere o perito em aeronáutica da empresa RBK Serguei Starikov:

"Um motor russo é sobretudo necessário por causa de possíveis contratos futuros. Estamos falando, por exemplo, do Ministério da Defesa. De acordo com a legislação russa, os motores desses aviões não podem ser de fabricação estrangeira. A empresa americana-canadiana Pratt&Whitney tem limitações aos fornecimentos dos seus equipamentos a determinados países. Se o fabricante do MS-21 assinar um contrato, por exemplo, com o Irã, o motor instalado será russo, como é evidente".

Por isso, o cliente poderá escolher qual será a versão do motor a instalar, o motor russo PD-14 ou o canadiano Pratt&Whitney. As companhias aéreas têm de ter uma escolha, que é o que se passa habitualmente. Ao encomendar um avião, a prática internacional deixa à escolha da companhia aérea a escolha do motor, explica o editor da publicação Aviatransportnoe Obozrenie (Revista do Transporte Aéreo) Maxim Piadushkin:

"O mais provável é haver um certo equilíbrio, cinquenta por cento para cada lado. O cliente será pragmático na sua escolha, porque não interessa se o motor será russo ou estrangeiro. O principal é ser econômico e ter custos de exploração reduzidos. As companhias aéreas irão partir desse princípio e tudo irá depender das características do motor. No próximo ano deverá ser montado o seu primeiro protótipo e, se ele confirmar as suas características, esses motores serão encomendados com maior frequência".

A execução do projeto da criação de uma aeronave comercial russa para o século XXI recebeu grandes investimentos por parte do Estado russo, o volume do financiamento público foi de centenas de milhões de dólares. O MS-21 tem elevadas perspectivas de sucesso apesar de ter de enfrentar, precisamente nesse segmento, uma concorrência muito forte, especialmente dos aviões da família Airbus A320, sublinha Maxim Piadushkin:

"Segundo os próprios desenvolvedores, o avião MS-21 é olhado com interesse por clientes do Sudeste Asiático e, por mais estranho que pareça, da Europa. É compreensível que nem toda a gente está satisfeita com o domínio mundial existente no segmento das aeronaves de fuselagem estreita por parte da Boeing e da Airbus. Muitas companhias aéreas estão prontas a estudar variantes alternativas, que não são muitas".

O alcance do MS-21 será de até 5,5 mil quilômetros. Na opinião dos peritos, a vantagem competitiva do MS-21 será a semelhança do seu interior com um avião de fuselagem larga e os seus passageiros irão ter um maior conforto.



Outras coberturas especiais


Africa

Africa

Última atualização 19 NOV, 02:00

MAIS LIDAS

Le Bourget