COBERTURA ESPECIAL - LAAD 2015 - Defesa

30 de Março, 2015 - 09:50 ( Brasília )

LAAD 2015 - Evento de defesa no Rio terá expositores e visitantes árabes

LAAD Defence & Security vai receber visitantes de mais de 70 países e terá ao menos 700 expositores. Empresas de munição e software dos Emirados Árabes Unidos irão apresentar produtos na mostra.

Marcos Carrieri
AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BRASIL-ÁRABE
 

 

Mais de 70 países irão enviar delegações para a feira do setor de Defesa LAAD Defence & Security, que será realizada no pavilhão de exposições Riocentro, no Rio de Janeiro, entre 14 e 17 de abril. A maior parte destas delegações é formada por comandantes de forças armadas. Entre os árabes, o ministro da Defesa da Mauritânia deverá vir para a mostra, que terá também duas empresas dos Emirados Árabes Unidos como expositoras, entre as mais de 700 que levarão seus produtos ao evento.

De acordo com o diretor da mostra, Sergio Jardim, o setor de defesa brasileiro tem projetos importantes em andamento a pedido das Forças Armadas do Brasil e que, apesar do cenário econômico difícil do País, não serão interrompidos.

“Há projetos grandes em andamento, como o Prosub (de desenvolvimento de submarinos) da Marinha, o Sisfron (de monitoramento de fronteiras), a Helibrás produz helicópteros para as Forças Armadas, há o fornecimento do blindado Guarani e também os caças suecos (com compra anunciada no fim de2013) e o avião de transporte militar KC-390 (projetado pela Embraer em parceria com a Força Aérea Brasileira). São projetos importantes e que estão em andamento, mesmo no atual momento [econômico]”, afirmou Jardim.

Além dos projetos encomendados pelas forças brasileiras, há expectativa de atração de encomendas de outros países. “Este setor é muito internacionalizado, com muita tecnologia nova e produtos para diversos usos. O Brasil exportou veículos para o Oriente Médio nos anos 70 e 80 e os países árabes são compradores de armas do Brasil. Não tenho dúvidas de que o KC-390, por exemplo, irá ocupar um espaço importante. Além disso, o Brasil e os países árabes já tem uma história de negócios neste setor”, afirmou.

Segundo Jardim, há diversos produtos que podem ser negociados com os árabes, entre eles munições e armamentos não letais. O diretor da mostra afirmou, porém, que feiras do setor de Defesa costumam ser importantes para a apresentação de lançamentos e para o anúncio de negociações já em andamento, mas é difícil ter contratos novos fechados durante o evento, porque a compra de armamentos é sempre feita por governos, o que exige concorrências que demoram meses.

Além da Mauritânia, já confirmaram presença na mostra delegações do Egito e da Argélia. Os sauditas deverão enviar representantes, mas sua presença ainda não foi confirmada. Os Emirados irão enviar visitantes e também expositores: a CLA, de produção de munições, e a Adasi, de fornecimento de softwares, ambas integrantes da holding Tawazun.

Além das nações árabes, os países da América do Sul, do Norte, América Central, Europa e parte da Ásia enviarão integrantes de forças armadas a convite do Ministério da Defesa do Brasil. Irã, Paquistão, Turquia, África do Sul, Honduras, Zâmbia, Canadá, México e Estados Unidos são alguns dos países que terão delegações na mostra. Entre os expositores, mais de 45 serão estrangeiros.



Outras coberturas especiais


Especial DitaBranda

Especial DitaBranda

Última atualização 16 DEZ, 11:30

MAIS LIDAS

LAAD 2015