COBERTURA ESPECIAL - LAAD 2011

05 de Abril, 2011 - 07:30 ( Brasília )

RAFAEL - Protector - Veículo de Superfície Não Tripulado (USV)


 Introdução

Recentemente, os USVs têm recebido reconhecimento por seu potencial de realizar diferentes missões marítimas de maneira eficiente. Essa tendência pode ser comparada com o desenvolvimento e a proliferação do uso de Veículos Aéreos Não Tripulados (UAVs), que atualmente se tornaram uma realidade.
 
O Protector da Rafael é um sistema naval baseado em veículos de superfície não tripulados (USVs). Controlado remotamente e com grande autonomia, o Protector é capaz de realizar uma ampla gama de missões de defesa e segurança marítima.
 
Combinando as necessidades dos campos de batalhas navais atuais, enfatizando a guerra litorânea e as vantagens inerentes aos USVs, o potencial de uso do Protector inclui as seguintes missões:

Segurança Marítima

O Protector pode servir para missões de segurança marítima (MS), tais como a realização de segurança costeira e portuária, segurança do comércio marítimo e de infraestruturas essenciais, como instalações de petróleo e energia. Executando essas missões, o Protector realiza diversas tarefas, como obtenção de dados sobre as atividades do domínio marítimo, identificação positiva dos alvos, criação de dissuasão através da sua presença, fornecimento de dados para reação em caso de atos ilícitos e interdição e/ou outras formas de intercepção de atividades ilícitas.

Proteção da Força

O Protector pode servir para a proteção da força naval (PF), especialmente no litoral. Em seu perfil de missão PF, o Protector criará uma zona de segurança em torno de grandes embarcações e/ou força-tarefas. Isso ocorre por meio do patrulhamento da zona de perímetro e da identificação positiva das embarcações que podem representar perigo para a força principal. Pequenas embarcações não identificadas podem ser confrontadas com o Protector mais rapidamente, permitindo que os ativos mais valiosos fiquem fora de potenciais zonas de perigo. A proteção da força pode ser executada por vários sistemas Protector simultaneamente.
 

Dominância Naval

O Protector também pode ser usado em outras missões navais, incluindo:

·    Apoio permanente ao controle e vigilância de situações fora da embarcação
·   Inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR)
·   Missões de batalhas subaquáticas, como Guerras de Minas (MIW / MCM) e Guerras Antissubmarinos (ASW)
·   Guerras Eletrônicas (EW)
·  Operações de suporte em Guerras em Rede (NCW), atuando como um elo essencial de comunicação

Descrição do Sistema Protector

O sistema Protector é composto por duas partes principais: O USV (que seria lançado do litoral ou de um navio de acolhimento), que é formado pelo sistema de plataformas, pelo Módulo de Missão (MM) e pela estação de controle, localizada em terra ou a bordo do navio de acolhimento.

A Plataforma

A embarcação é baseada em um design exclusivo e patenteado, configurado para operar de maneira automatizada e obter uma maior flutuação e uma capacidade melhorada de sobrevivência. O casco do barco possui formato em V e é composto de alumínio altamente resistente, com anteparos estanques, tirantes em D com espuma, concebido para obter um desempenho otimizado, e com vela de alta capacidade de sobrevivência em alto mar. O barco é equipado com um motor diesel eletrônico e um jato de água que fornece alta potência e manobrabilidade.
O comprimento típico da configuração atual é baseado em barcos de 9 ou 11 metros, podendo variar de 7 a 13 metros. Podem ser configurados um ou dois motores, dependendo da plataforma e da missão.

Sensores

Vários sensores são incluídos como parte do sistema da plataforma central, incluindo sistema de radar, câmeras eletro-ópticas, e GPS.
O sistema de radar é baseado em um transponder comercial de radares e em um pacote de integração. Os dados dos radares são transmitidos para o computador da missão, onde são utilizados e enviados para a estação de controle.
Câmeras de navegação: A câmera de navegação fornece uma visão de 360 graus ao redor do USV. O subsistema compreende duas faixas que utilizam diversas câmeras e cobrem mais de 180 graus cada uma. As imagens de vídeo são processadas e enviadas à estação de controle por meio do sistema de comunicação.
GPS: Um sistema marítimo de GPS padrão.

Módulo de Missão

Em geral, o módulo de missão (MM) refere-se a sistemas específicos para cada tipo de missão ou carga. O MM do Protector está configurado para missões de vigilância (ISR), segurança marítima (MS), e proteção da força (PF). Os principais componentes do MM são o sistema eletro-ópticos (EO) de observação Toplitee a estação de armamentos Mini-Typhoon.
 
O sistema EO Toplite aumenta a capacidade de vigilância do Protector, proporcionando observações de longa distância durante o dia e a noite. Com vários canais ópticos, incluindo câmeras CCD e FLIR, telêmetro laser (LRF) e um sistema de rastreamento, o Toplite funciona como um dispositivo de vigilância, identificação e mira para o sistema de armas.

O Mini-Typhoon é um sistema naval de metralhadoras leve, estabilizado e operado a distância. O sistema fornece capacidade de proteção da força e engajamento de precisão. O Mini-Typhoon pode acomodar diversos tipos de armas de pequeno porte, tais como metralhadoras 7.62 mm, 0,5" e lança-granadas 40 mm. Um computador balístico embutido calcula o tiro com base em dados do alvo e do próprio navio, levando em consideração fatores ambientais e fornecendo à arma ângulos de posição e superelevação que resultam em alta probabilidade de acerto.

Equipamentos adicionais, como holofotes e sistemas de sinalização, podem ser integrados ao MM. Opcionalmente, o armamento pode acomodar outros mecanismos, incluindo meios não-letais.

Controle

Uma instalação de controle a distância serve como meio de operação remota do Protector. Ela pode ser localizada em terra ou a bordo de uma embarcação, como um "navio-mãe" do qual o Protector é lançado. O controle remoto oferece todas os meios necessários para realizar uma missão operacional completa. Ela é composta por duas estações de operação destinadas ao controle do barco e ao controle do módulo de missão.

Comunicação

O sistema de comunicação é baseado no sistema LightLink Rafael. O sistema LightLink é um link NLOS de dados ponto-a-ponto, que é responsável pela transmissão de vídeos digitais e pela telemetria no canal de downlink e de dados de comando no canal de uplink. O sistema explora técnicas avançadas de compressão, transmissão e recepção de vídeos digitais. O LightLink fornece um desempenho robusto, mesmo em condições severas e sob fortes interferências eletromagnéticas.
 
Conclusão

O Protector é um produto já existente e maduro, cujas excelentes capacidades operacionais puderam ser comprovadas por vários clientes. As lições aprendidas com operações reais foram utilizadas para criar um processo de desenvolvimento contínuo do Protector, resultando em um produto altamente avançado e maduro. Com a sua quarta geração do Protector, a Rafael mantém a posição de liderança no mercado de USVs.

Fonte - RAFAEL

 



Outras coberturas especiais


Fundação EZUTE

Fundação EZUTE

Última atualização 18 DEZ, 21:46

MAIS LIDAS

LAAD 2011