COBERTURA ESPECIAL - KC-390

02 de Novembro, 2011 - 15:20 ( Brasília )

KC-390 - Indústria nacional deve participar do projeto do novo cargueiro

Novo avião deve gerar 12.600 empregos e até US$ 20 bilhões em exportações para o Brasil

Está previsto para 2014 o voo inaugural do KC-390, novo avião de transporte que a EMBRAER desenvolve para a Força Aérea Brasileira e que já possui intenções de compra de outros cinco países. A aeronave vai cumprir missões de transporte e de reabastecimento em voo, entre outras.

Benefícios econômicos e incentivo às empresas nacionais estão no foco do projeto. "Uma das premissas fundamentais do projeto é que seja priorizada a indústria nacional", explica o Tenente Coronel Sergio Carneiro, gerente do projeto do KC-390.

As oportunidades para as empresas brasileiras foram apresentadas em um seminário realizado (19/10) no Parque de Desenvolvimento Tecnológico de São José dos Campos (SP). A prioridade é favorecer as empresas brasileiras nos contratos para o fornecimento de itens que podem ser fabricados no Brasil. "Tudo aquilo que a indústria brasileira puder fornecer nós iremos incentivar", afirma o Tenente Coronel Carneiro.





Os itens vão desde a blindagem até armários, equipamentos de apoio em solo, escadas, cozinha de bordo e a estrutura necessária para a linha de montagem. Na programação do seminário, a EMBRAER e o Departamento de Ciência e Tecnologia da Aeronáutica (DCTA) apresentaram as oportunidades do projeto. Em seguida, representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e do Centro para a Competitividade e Inovação para o Cone Leste Paulista (CECOMPI) esclareceram sobre linhas de financiamento e outras formas de apoio que podem ser oferecidas para as empresas que ingressarem no projeto.

“A mobilização e o fortalecimento de toda a cadeia produtiva nacional, em consonância com as medidas governamentais refletidas na Estratégia Nacional de Defesa e no Plano Brasil Maior, têm sido foco da FAB e da Embraer desde o início deste programa”, disse Luiz Carlos Aguiar, Presidente da Embraer Defesa e segurança. “Com o apoio de diversas entidades públicas e privadas, temos envidado esforços conjuntos para estimular e viabilizar a participação de empresas brasileiras como fornecedoras do KC-390.”

Paralelo ao incentivo às empresas brasileiras, o projeto do KC-390 também envolve indústrias estrangeiras, que vão fornecer equipamentos que ainda não são fabricados no Brasil, como turbinas e o radar. Nesses casos, serão assinados acordos de Off-Sets, compensações econômicas para o Brasil por meio de parcerias dos estrangeiros com empresas nacionais que são beneficiadas, por exemplo, com transferência de tecnologia.

Desenvolvido para substituir o C-130 Hércules, aeronave de transporte militar atualmente utilizado em mais de 90 países, o KC-390 já possui 28 intenções de compra da Força Brasileira e também do Chile (6), Colômbia (12), Argentina (6), Portugal (6), República Tcheca (2).

Com 35,20 metros de comprimento, 12,15m de altura, 35,05m de uma ponta da asa à outra e 81 toneladas de peso máximo, o KC-390 é a maior aeronave já projetada no Brasil e terá que aliar características como voar a até 850 Km/h, levar até 23 toneladas de carga e pousar em pistas curtas, como na região amazônica e até na Antártica. Entre as principais missões do jato estarão o transporte de cargas, lançamento de paraquedistas, reabastecimento em voo de aviões e helicópteros, busca e resgate, combate a incêndios florestais, lançamento de cargas em voo, transporte de tropa e evacuação de feridos.

O compartimento de carga poderá levar 80 soldados ou 64 paraquedistas ou ainda 7 pallets de carga. Em configuração para resgate de doentes ou feridos, poderão ser instaladas até 74 macas, além de espaço para uma equipe médica. O KC-390 também terá seus sistemas de controle de voo totalmente elétricos (fly-by-wire) e uma eletrônica embarcada de última geração, compatível com sistemas de visão noturna e com sistemas de autoproteção contra mísseis.

Empresas já selecionadas para o KC-390

Empresa
Clique no nome da empresa para mais detalhes

País

Componente

Rockwell Collins

EUA

Aviônicos Pro Line FusionTM

Liebherr

Alemanha

Sistemas de controle ambiental e da pressão da cabine

Esterline

Inglaterra

Sistema de automanete

Messier-Bugatti-Dowty

França

Sistemas de rodas, freios, retração e
extensão do trem de pouso, e conjunto hidráulico do controle direcional em solo

DRS

EUA

Sistemas de movimentação de carga e lançamento aéreo (Aerial Delivery System - CHS/ADS)

ELEB

Brasil

Trem de Pouso

COBHAM

Inglaterra

Pods de reabastecimento em vôo

SELEX GALILEO

Itália

Sistema de radar de missão

AEL Sistemas

Brasil - Israel

Computador de Missão

BAE SYSTEMS

Inglaterra

Fornecer hardware, software embarcado, projeto de sistemas e suporte à integração dos eletrônicos para comandos de vôo

HISPANO-SUIZA França Sistema Emergencial de Geração de Energia Elétrica (EEPGS)
International Aero Engines AG (IAE) Consórcio Lidrado pela P&W Motor V2500-E5

ver Artigo sobre A IAE
EUA Atuadores elétricos reserva dos hidrostáticos (EBHA), os atuadores eletrônicos e os controles elétricos para o sistema primário de comandos de vôo
Países e Empresas que Participam do Desenvolvimento
Argentina FAdeA 6 Aeronaves
Portugal OGMA 6 Aeronaves
Colômbia

Colombian Aeronautics Industry Corp.

12 Aeronaves
Brasil EMBRAER 28 Aeronaves
República Tcheca Aero Vodochody 2 Aeronaves
Chile ENAER 6 Aeronaves
 

Total

60 aeronaves