09 de Janeiro, 2008 - 12:00 ( Brasília )

Inteligência

Philip Agee - Morre em Cuba ex-agente da CIA defensor da revolução

Philip Agee (foto), ex-agente da CIA que se tornou um fervoroso defensor da revolução cubana e se radicou na ilha, faleceu em Havana na última segunda-feira aos 72 anos, anunciou dia 09 Janeiro 2008 o jornal oficial Granma, sem informar a causa da morte.



HAVANA (AFP) - Philip Agee, ex-agente da CIA que se tornou um fervoroso defensor da revolução cubana e se radicou na ilha, faleceu em Havana na última segunda-feira aos 72 anos, anunciou nesta quarta o jornal oficial Granma, sem informar a causa da morte.

"Philip Agee foi um leal amigo de Cuba e fervoroso defensor da luta dos povos por um mundo melhor", escreveu o Granma, destacando que o americano foi oficial da Agência Central de Inteligência (CIA) até 1968, quando rompeu com a agência "por motivos de consciência".

O jornal cubano não divulgou a causa da morte, mas amigos de Agee contaram que o ex-agente morreu após sofrer uma perfuração de úlcera no estômago. Ele não teria resistido à cirurgia.

Bernie Dwyer, jornalista da Rádio Havana Cuba e amiga de Agee, disse que o corpo foi cremado na terça-feira.

Agee, que se mudou para Cuba nos anos 70, publicou em 1974 "Dentro da companhia: diário da CIA", best-seller em 1975 e traduzido para mais de 30 idiomas.

"Desde então, se dedicou a denunciar as atividades terroristas, desestabilizadoras e subversivas" de Washington "contra governos e pessoas progressistas e revolucionárias da América Latina e do Caribe", segundo o Granma.

Segundo o jornal, o ex-espião, que reconheceu "ter feito muito mal" à ilha quando trabalhava para a CIA, "se destacou pela solidariedade com Cuba, Nicarágua, Granada e Venezuela, entre outros países".

Em 2000, Agee fundou a Cubalinda, uma agência de viagens na internet que apresentou como a primeira emrpesa americana criada na ilha, desafiando o embargo imposto por Washington contra Cuba desde 1962.

"Não tenho licença nem permissão, não pedi nem vou pedir", declarou à AFP em 2000, explicando que criou a empresa para "abrir uma pequena brecha no muro que os Estados Unidos construíram ao redor de Cuba para isolá-la" e representar "um exemplo moral" para incentivar os americanos a visitar a ilha e investir "com ou sem embargo".

 

Granma 09 Janeiro 2008
 
Falleció en Cuba ex agente de la CIA

La Habana, 9 ene (PL).— El pasado 7 de enero, falleció en la capital cubana Phillip B. Agee., quien fuera oficial de la Agencia Central de Inteligencia (CIA) hasta que rompió con ella en 1968 por motivos de conciencia.

En 1974 publicó su libro Dentro de la CIA y desde entonces se consagró a denunciar las actividades terroristas, desestabilizadoras y subversivas del gobierno de Estados Unidos contra gobiernos y personas progresistas y revolucionarias de América Latina y el Caribe.

Medios de prensa cubanos publicaron hoy que Phillip B. Agee se destacó en la solidaridad con la isla, Nicaragua, Granada y Venezuela, entre otros países.

Agee fue un leal amigo de Cuba y ferviente defensor de la lucha de los pueblos por un mundo mejor.