COBERTURA ESPECIAL - Guarani - Terrestre

15 de Abril, 2009 - 12:00 ( Brasília )

IVECO e EXÉRCITO Detalham a nova Viatura Blindada de Transporte de Pessoal - VBTP-MR


IVECO e EXÉRCITO Detalham a nova
Viatura Blindada de Transporte de Pessoal -
Viatura Blindada de Transporte de Pessoal VBTP-MR

A Iveco e o Exército Brasileiro apresentam, em première mundial, a maquete em escala real ("Mock-Up") da nova Viatura Blindada Transporte de Pessoal Média de Rodas (VBTP-MR) na Latin America Aero & Defence (LAAD).
 

O projeto VBTP-MR é fruto do processo de seleção de empresas promovido pelo Exército em 2007, vencido pela Iveco. Um dos fatores decisivos nesta escolha foi a experiência da divisão Iveco Defence Vehicles, que projeta, produz e comercializa diversos veículos militares, incluindo modelos similares ao VBTP-MR brasileiro.

O veículo desenvolvido em conjunto entre a Iveco e o Exército (por meio do projeto Mobilidade Estratégia e pelo DCT - Departamento de Ciência e Tecnologia) será uma viatura de transporte de 18 toneladas, equipada com motor diesel eletrônico, tração 6x6 e capacidade anfíbia, capaz de transportar 11 militares.

As especificações básicas indicam 6,91 metros de comprimento, 2,7 metros de largura e 2,34 metros de altura. O modelo poderá ser equipado com uma torre de canhão automático ou de metralhadora operada por controle remoto para diversas aplicações diferentes, e pode ser aerotransportado por um avião tipo Hercules C-130 e eo futuro KC-390 da EMBRAER..

A missão inicial do projeto VBTP-MR é substituir a frota atual de blindados de transporte de tropas do Exército, basicamente formada por modelos tipo EE-11 Urutu. O novo veículo também será a plataforma base de uma família de blindados médios de rodas que poderá ter até mais dez versões diferentes, incluindo veículos de reconhecimento (ou carro de combate), socorro, combate de fuzileiros, posto de comando, comunicações, morteiro leve, morteiro pesado, central diretora de tiro, oficina e ambulância.

"O projeto também tem como meta criar uma base altamente especializada para o desenvolvimento de veículos militares no Brasil", explica Pietro Borgo, diretor geral da Iveco Defence. "Neste processo, pretendemos estabelecer a presença da Iveco Defence no Brasil e nos tornarmos um parceiro do Exército Brasileiro".

Testes começam em 2010

Os veículos serão produzidos na fábrica da Iveco em Sete Lagoas (MG). A primeira unidade (protótipo) deve estar pronta em 2010, para o início da fase de testes, cerca de dois anos após a assinatura do contrato com o Exército. Outras 16 unidades serão construídas e testadas até 2011. Os testes serão conduzidos no Centro de Avaliações do Exército (CAEx), localizado em Guaratiba (RJ), incluem confiabilidade (durabilidade), ensaios balísticos (blindagem estrutural), anti-minas e ergonomia, entre outros.

Após esta fase, o Exército Brasileiro poderá realizar a primeira encomenda de VBTP-MR.

Boa parte dos componentes dos primeiros 16 veículos será importada, mas o projeto tem como diretiva elevar o conteúdo nacional acima dos 60%, com o objetivo de reduzir custos de produção e de manutenção. Segundo a Iveco, essa meta pode ser alcançada porque o parque nacional de fornecedores é de alta qualidade em termos de componentes automotivos e motores.

O modelo será equipado, por exemplo, com o novo motor diesel eletrônico Iveco Cursor 9, que será produzido no Brasil. Esse motor é reconhecido mundialmente por sua elevada economia de combustível, potência e baixo índice de emissão de poluentes.

Transferência de Tecnologia

O VBTP-MR é um veículo inteiramente novo, com características próprias e inéditas, como o fato de usar chassi em longarinas de aço. Modelos deste tipo normalmente possuem carroçaria monobloco. A adoção do chassi visa baixar custos. "A manufatura em monobloco é mais cara e complexa. E com a adoção do chassi, o veículo fica mais alto com relação ao solo, o que oferece algumas vantagens operacionais", explica Alberto Mayer, diretor de assuntos institucionais da Iveco.

O projeto de engenharia está avançado. O trabalho começou em dezembro de 2007, após a assinatura do contrato. O conhecimento básico para o desenvolvimento do VBTP-MR vem da Iveco Defence, divisão militar baseada em Bolzano, Itália, onde a Iveco produz uma variedade de veículos militares blindados de múltipla aplicação e táticos para forças armadas de vários países do mundo.

Além dos especialistas da Iveco Defence, o projeto envolve engenheiros do Exercito Brasileiro e da Iveco no Brasil, além de especialistas da Comau, empresa de engenharia automotiva do Grupo Fiat. São cerca de 30 pessoas diretamente envolvidas. "Essa integração de equipes acelera o trabalho e resultará em grande transferência de know how tecnológico para o Brasil", diz Mayer. Até o momento, o trabalho já consumiu 25 mil horas de engenharia.

O responsável pelo projeto da nova viatura é o engenheiro Renato Properzi, da Iveco Defence, com larga experiência em desenvolvimento de veículos militares blindados de rodas. Properzi foi responsável pelos projetos dos veículos blindados da Iveco Defence Centauro AIFV 8x8 e Puma VBL (Veículo Blindado Leggero) nas versões 4x4 e 6x6.

Possibilidade de exportação

Comparado ao modelo em uso hoje pelo Exército brasileiro, o novo projeto traz vantagens como: proteção blindada superior, maior mobilidade, maior capacidade de transposição de trincheiras, maior capacidade de degrau vertical, maior vão livre, suspensão independente hidropneumática, elevada capacidade de proteção anti-minas, melhor ergonomia, ar condicionado, sistema de freio com disco duplo e ABS, GPS, sistema automático de detecção e extinção de incêndio, capacidade de operação noturna de série, sistema de detecção de laser.

Segundo General Waldemir Cristino Rômulo, Gerente Militar do Projeto, existe a possibilidade de exportação do VBTP-MR, pois o Brasil já vendeu blindados semelhantes para países da América Latina e África. "A nova família de blindados que está sendo desenvolvida será certamente muito interessante pra as forças armadas desses mercados".

 

VBTP-MR Viatura Blindada Transporte de Pessoal

Dimensões

Comprimento total

6910 mm
Altura na carcaça 2340 mm
Largura total 2700 mm

Distância entre - eixos (1º para o 2º e 2º para o 3º)

1700 - 2000 mm

Vão livre

430 mm

Bitola

2260 mm

Ângulo de entrada

48°

Ângulo de saída

45°

Número de lugares 1+1+1+8 (11)
Pesos

Ordem de Marcha

14.3 t

Máximo peso admissível para manter capacidade anfíbia

17.5 t
Motor

Tipo

FPT Cursor 9

Alimentação

Eletrônica Common Rail

Combustível

F34, F54
Potência máx. 383 cv @ 1600÷2100 rpm
Torque máx 1500 Nm @ 1400 rpm
Transmissão
Automática (6+1 ré)  
Direção e suspensões

Sist. Transmissão Longitudinal
Caixa de Transferência de relação única
Suspensões hidropneumaticas independentes

Pneus

14.00 R20 (10.00W)
Freios A disco nas 6 rodas
ABS Item de série
CTIS
Item de série
Run Flat (Anel Toroidal) Item de série
Guincho Hidráulico
Desempenhos

Máx. velocidade em estrada

>105 km/h

Velocidade na água

>= 9 km/h
Velocidade mínima <= 3.5 km/h
Rampa longitudinal > 60 %

Rampa transversal

> 30 %

Autonomia (estrada, 70 km/h) > 600 km

Degrau

>= 0.5 m

Trincheira >= 1.3m

Vau

Anfíbio

Raio de giro (meio fio a meio fio - parede a parede)

9 - 9,9 m

Potência / peso a 17,5 t (anfíbio) 22 cv/t
Inst. Elétrica Tipo CAN bus
Painel digital com monitor (LCD)
Alimentação 24V (Opcional saídas de 12 V)

Capacidade de Reboque

Veículo de mesmo tamanho
Proteções balísticas

Carcaça em aço balístico

Preparação para blindagem adicional ("add-on")

Preparação para Kit anti-minas adicional

Opcional

Sistema de proteção NBC

Anti-incêndio automático no compartimento do motor

Anti-incêndio automático no compartimento da tropa



Outras coberturas especiais


Nuclear

Nuclear

Última atualização 26 JUN, 12:00

MAIS LIDAS

Guarani

2