COBERTURA ESPECIAL - Guarani - Terrestre

01 de Setembro, 2015 - 14:00 ( Brasília )

EB/AGSP – Revitalização das Viaturas Blindadas EE-9 Cascavel


Fonte: AGSP/CCOMSEx


O Arsenal de Guerra de São Paulo, dando prosseguimento ao Programa Estratégico RECOP (Recuperação da Capacidade Operacional), do Exército Brasileiro (EB), a sua atividade-fim, realizou o tiro técnico do canhão 90 mm das Viaturas Blindadas EE-9 Cascavel, fabricadas pela extinta Engesa e completamente modernizadas pelo Arsenal de Guerra de São Paulo, organização militar daquela força encarregada de recondicionar/atualizar esse tipo de material. Finalizando mais uma etapa do processo de revitalização dessas viaturas.

A revitalização dos carros Cascavel, armados com o canhão CMI Defense Cockerill Mk2 de 90 mm nacionalizado pela Engesa, envolve a completa desmontagem dos veículos, revisão estrutural, retificação e substituição de componentes, melhorias nos motores Detroit Diesel 6V-53N 6 cilindros, com 212HP de potência, e a troca de cablagens e sistemas rádios obsoletos por outros mais modernos e confiáveis.

O EE-9 Cascavel, foi desenvolvido no Brasil pela empresa ENGESA, de S. José dos Campos (São Paulo), conforme especificações do exército brasileiro. O EE-9 não esconde a grande influência que recebeu do carro de reconhecimento M-8 de fabricação norte-americana, que na prática veio substituir.

O Cascavel, é um veículo de reconhecimento e foi feito para poder ser "incrementado" à medida do cliente, podia ser armado, por exemplo, com telêmetro a LASER, manga de supressão de fumaça, sistema eletrônico de controle de tiro, entre outras sofisticações para a altura (anos 1980).

Ainda se encontra em serviço em vários países, o Exército Brasileiro está desenvolvendo um programa de revitalização destes veículos, de modo a estender sua vida útil. que lhes permitirá continuar ao serviço pelo menos até á segunda década do século XXI.

O EE-9 possui alta velocidade e boa direção em estradas pavimentadas, esse carro foi muito requisitado na Guerra do golfo. E foi um enorme sucesso de exportação, vendidos para: Bolívia, Burkina Faso, Chade, Chile, Colômbia, Chipre, Equador, Gabão, Gana, Irã, Iraque, Líbia, Nigéria, Paraguai, Suriname, Togo, Tunísia, Uruguai e Zimbabwe, além de outros países não referidos. No total foram fabricados 1.738 destes veículos.

História

Família de carros de combate ligeiros de origem brasileira, inspirada no M-8 Greyhound, que deu origem ao veículo Cascavel, fabricado no Brasil pela empresa ENGESA. Além do Cascavel, foi igualmente produzido o URUTU, que compartilha com o Cascavel grande parte dos componentes mecânicos, embora se trate na realidade de veículos com utilizações completamente diferentes.

Quer os carros Urutu, quer os Cascavel, foram sucessos de vendas no mercado internacional de armamentos, onde o seu principal argumento de vendas foi a simplicidade de operação e manutenção, conjugada com um preço mais baixo que alguns dos seus congêneres.


Leia também:

- Iraque: EE-9 Cascavel Volta à Ação (Link)

- Armas brasileiras serão utilizadas contra sunitas (Link)

- VBR-MR - ROB Viável? (Link)
A substituição do EE-9 Cascavel, objetivo da Viatura Blindada de Reconhecimento- Média de Rodas, teve seus Requisitos Operacionais Básicos (ROB) definidos pelo Estado-Maior do Exército


- O projeto de P&D da família de blindados Guarani (Link)


Outras coberturas especiais


Crise Militar

Crise Militar

Última atualização 18 AGO, 00:20

MAIS LIDAS

Guarani

6