COBERTURA ESPECIAL - Gripen NG Brazil - Aviação

04 de Julho, 2017 - 11:00 ( Brasília )

DilmaX - Ex-presidente dá consistente depoimento em audiência sobre Programa F-X2

Ex-presidente é ouvida como testemunha em ação que investiga compra de caças suecos e incentivos fiscais a montadoras



Por meio de videoconferência, Dilma foi ouvida como testemunha na ação que investiga negociações irregulares que levaram à compra de 36 caças suecos do modelo Gripen pelo governo brasileiro e à prorrogação de incentivos fiscais destinados a montadoras de veículos por meio da Medida Provisória 627.

Na audiência, ocorrida em 22JUN2017, Dilma afirmou ainda que o processo de transição com a gestão de Lula foi "extremamente respeitoso". Sobre a compra dos caças, Lula teria dito apenas que ele não decidiria sobre a questão em seu governo e que isto ficaria para o mandato da petista. Segundo ela, a escolha pelos caças suecos ocorreu principalmente pela possibilidade de o Brasil participar do processo de desenvolvimento do projeto. 

O caso é investigado no âmbito da Operação Zelotes, na qual são réus Lula e seu filho, o empresário Luis Cláudio. Ambos foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa em dezembro de 2016.

Na denúncia, a Procuradoria da República afirma que Lula, já na condição de ex-presidente, "integrou um esquema que vendia a promessa de que ele poderia interferir junto ao governo para beneficiar as empresas MMC, grupo Caoa e SAAB, clientes da empresa Marcondes e Mautoni Empreendimentos e Diplomacia LTDA (M&M)". 

Em troca, afirma o MPF, o casal de lobistas Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, donos da M&M, repassaram a Luis Cláudio pouco mais de R$ 2,5 milhões.

Outras duas testemunhas do MPF foram ouvidas nesta quinta sobre o caso: Luiz Alberto dos Santos, consultor legislativo que trabalhou na Casa Civil entre 2003 e 2014, e Bengt Janér, representante da SAAB no Brasil.
 
Pontos Relevantes referentes às perguntas e respostas

Início

7:30 – 10:00   Dilma Roussef interpelada sobre escolha dos caças.

10:00 – 19:00 Dilma detalha as definições das 3 ofertas: Dassault Rafale (França), Boeing F/A 18 E/F Super Hornet (EUA) e SAAB Gripen NG (Suécia). Mostra admiração pela oferta americana mas indica que o empecilho era transferência de tecnologia. Restrição no Congresso Americano (Nota DefesaNet – A Boeing e o Departamento de Estado sempre afirmaram que tinham o compromisso das bancadas Republicana e Democrata de apoiar a transferência de tecnologia para o Brasil)

Surpreende ao mencionar que o preço do Caça Dassault Rafale era próximo aos demais.

A definição pelo SAAB Gripen NG foi custo aquisição, operacional e inserção tecnológica.
 
19:00 – 20:30 – Por qual razão o presidente Lula apoiava o caça francês?

Dilma menciona que o Ministério da Defesa (gestão Ministro Jobim) tinha recebido uma carta bem atraente dos franceses. Mas os dados eram preliminares.

20:30 -21:40 – Mencionado o apoio do Presidente Lula (07Setembro 2009).

Dilma responde que os dados não estavam claros para uma tomada de decisão e a esta só foi tomada no final de 2013.

21:40 – 26:15 O caça americano era preferido. Qual a interferência do caso Snowden?

Dilma ressalta a questão dos empecilhos de transferência de tecnologia militar.
Minimiza a ação da Administração Obama no caso da ação da NSA.  Menciona que a o Obama não controla estas ações da NSA.

Brasil solicitou:

1 – Impedir novas ações,e,
2 – Dizer o que tinha sido espionado.

O monitoramento da NSA tinha como alvo o pré-sal e não os caças.

26:15- 27:00   O presidente Lula chegou a passar indicações sobre a definição dos caças na passagem do governo?

27:00-28:20 Contatos com o Instituto Lula ou Presidente Lula sobre contato com o político sueco sueco Kjell Stefan Löfven ?

28:20-32:20 Funerais do Mandela e possível contato com autoridade sueca.

Dilma detalha com cuidado a viagem aos funerais de Nelson Mandela, acompanhada pelos ex-presidente: Lula, Fernando Henrique, Sarney e Collor.

32:20-33:52  Contato com lobistas e carta de Marcus Wallenberg (Presidente do Grupo Investor controlador da SAAB)

Dilma menciona que só teve um contato com Wallenberg para discutir a questão dos juros do contrato.   

33:52-34:00 Investimentos da SAAB em São Bernardo do Campo?

Dilma afirma desconhecer as ações da SAAB em São Bernardo do Campo. Diz que o mesmo é irrelevante.
 
A partir do minuto 34 até o final trata só da Medida Provisória 627. 



VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Presidência da República

Presidência da República

Última atualização 21 NOV, 02:00

MAIS LIDAS

Gripen NG Brazil