COBERTURA ESPECIAL - Gripen - Aviação

21 de Junho, 2012 - 10:09 ( Brasília )

A Lição que vem do Norte

O Aerospace Forum Sweden realizado em comemoração ao 75 anos da empresa SAAB tratou das últimas operações militares como a da Líbia

A LIÇÃO QUE VEM DO NORTE

 

por Vianney Jr
Enviado Especial à Suécia


O que dois eventos realizados entre os últimos dias de maio e o início deste mês, em dois países distantes na localização, na cultura e no clima (um nórdico outro tropical) teriam em comum? A principal resposta a esta pergunta é indubitavelmente: a participação de um povo altamente criativo! Na verdade, em aspectos práticos, um deles já deu objetividade a esta criatividade, o outro tenta organizá-la a fim de aproveitar as oportunidades de seu destaque global e crescimento na atualidade.

Estamos falando de eventos que movimentaram Suécia e Brasil. Enquanto o tamanho, organização e conteúdo do Aerospace Forum Sweden que culminou com um show aéreo de grande beleza e importância histórica, demonstrava o resultado de anos de pensamento e trabalho bem dirigidos, o evento do CISB - Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro incentivava o desenvolvimento de Tecnologia Limpa, Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) e Ciências da Vida.

O Aerospace Forum Sweden

Para falar do Aerospace Forum Sweden (de 31 de maio a 3 de junho na cidade de Linköping), que com excelência abordou os caminhos futuros do emprego das tecnologias aeroespaciais e analisou os aprendizados do uso da arma aérea e suas ações combinadas, e estabeleceu nortes para o futuro do emprego da aviação militar, fui buscar no entendimento do passado a melhor maneira de seguir nesta narrativa.  Para tal mister foi de grande importância visitar o Flygvapenmuseum – Museu da Swedish Air Force na Base Aérea Malmen, e perceber as origens do que mais nos impressionou durante todo o evento: uma eficientíssima conjunção de esforços entre as Forças Armadas – Indústria – Governo – Comunidade daquele país escandinavo. A base deste desenvolvimento, que teve grande influência dos aprendizados durante a Guerra Fria, deu à Suécia, um país não-alinhado (assim como o Brasil), a plena compreensão da necessidade de autonomia no que diz respeito à sua indústria aeronáutica e de defesa como um todo. A receita, criatividade e otimização de recursos, conduzidas de uma forma racional e comprometida, parece redobrar sua validade em tempos de incertezas econômicas, arrochos financeiros e orçamentos cada vez mais compactados. Analisando a história encerrada nas paredes do belíssimo museu (vale a pena conferir) chegamos à conclusão de que o povo sueco aprendeu a fazer mais com menos. E o tem feito muito bem!

Nos próximos dias não perca em DefesaNet, avaliação do caça concorrente sueco no FX-2, o SAAB GRIPEN – Teaser de vídeo na DNTV - Link


O detalhamento da agenda incluiu as perspectivas de indústria e comércio das tecnologias aeroespaciais sob os pontos de vista internacional, especificamente da indústria sueca e principalmente colhidos a partir das experiências e necessidades dos usuários de tais aeronaves, equipamentos, sistemas e avanços tecnológicos. Neste tema, tiveram destaques a visão da Índia para o futuro das questões aeroespaciais e de defesa, os desafios da indústria americana para o crescimento e inovação em mercados cada vez mais desafiadores, o futuro dos sistemas aéreos europeus, a cooperação sueca com parceiros internacionais, inovações, sucesso e futuro na ótica do grupo SAAB no ano em que completa 75 anos.

As operações de vigilância e imagem com o GRIPEN na Líbia, o ERIEYE grego também na Unified Protector e as políticas sustentáveis para o aeroespaço e pesquisa foram o ponto alto do primeiro dia do Forum.

Na sessão paralela as tecnologias verdes nas atividades aeroespaciais civis e da aviação comercial ditaram a programação.

O segundo e mais esperado dia do evento trouxe o respeitado e competente editor da Jane’s, Robert Hewson, como moderador da Conferência com foco nas Doutrinas. O principal tema do dia foi a contribuição das Operações Aéreas na garantia da segurança regional e global no presente e no futuro. Mais apuradamente foram apresentadas e discutidas as ações da OTAN e Coalisão Européia na Líbia em 2011, as experiências Checas no policiamento do espaço aéreo dos Estados Bálticos e o aprendizado na África do Sul na manutenção da estabilidade e segurança regional sob a perspectiva da proteção do aeroespaço. O futuro das funções a serem desempenhadas por Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e França dentro dos novos e sempre mutáveis cenários da segurança regional e global, enriqueceram o conteúdo do Fórum, sempre culminando em um painel de discussões de notório interesse.

O Espaço, em suas políticas de exploração e futuros tecnológicos, foi o tema do painel paralelo do dia.

Além das delegações militares internacionais, em sua maioria composta por oficiais generais, de estado maior e comandantes de esquadrões operacionais, o Aerospace Forum Sweden reuniu um seleto grupo de analistas de assuntos estratégicos e de defesa, e representantes dos mais respeitados grupos jornalísticos de todo o mundo, contanto com a participação de profissionais do porte do já citado Robert Hewson, Reuben Johnson, Saurabh Joshi, Igor Tabak, Denis Leblanc, Max Ungricht, Marius Constantin, Boris Lilov, Lian Somesan, Svetlan Simov, entre outros de reconhecida reputação.

Os nomes e temas do Aerospace Forum Sweden

Recepção:
Maj Gen Micael Bydén, Chief of Staff Swedish Air Force

Moderador: Sven-Christer Nilsson, Chairman of the Board of the Swedish Defence Material Administration (FMV)

Vision for India’s future Aerospace and Defence
Dr. V.k. Saraswat, Scientific Advisor to RM & Secretary Defence Research & Development Organisation

United States: Driving Growth and Innovation in Challenging Markets
Jon Barney, The Avascent Group

Key Industrial Capabilities – EDA’s approach to Future European Air Systems Peter Scaruppe, Director Industry & Market, EDA

Swedish International Co-operations and Exports
Ulf Hammarström, Director General FXM

Aeronautics in the Swedish Innovation system
Dr. Charlotte Brogren, Director General Vinnova

Saab 75 years of success and an outlook for the future
Lennart Sindahl, Exec. VP Saab AB, Head of Saab Aeronautics

Surveillance systems – GRIPEN in Libya
Lt Col Hans Einerth, TUJAS, Swedish Armed Forces

Greek ERIEYE in operation Unified Protector
Lt Col George Kouskoutis, Hellenic Air Force

Closing remark “Sustainable politics for aerospace and research”
Håkan Ekengren, State Secretary to the Minister for Enterprise

Flying Innovation – Making Civil Aerospace Greener

Challenges for civil aeronautics
Chris Emerson, Airbus Senior Vice President - Future Programs & Market Strategy

Moderador: Staffan Zackrisson, CEO Volvo Aero Corporation

Clean and smart - Horizon 2020 setting the targets?
Marco Brusati, Head of Sector - Environmental Aspects of Aeronautics, EU Comments on “Aero Engine Energy Efficiency Towards 2050: a Technology Perspective”: Tomas Grönstedt, Associate Professor Chalmers University of Technology

Moderador: Staffan Zackrisson, CEO Volvo Aero Corporation

Green ATM
Michael Standar, Chief Strategiest SESAR
Comments by: Fredrik Follin, Saab and Niclas Gustavsson, LFV

Moderador: Thomas Allard, Director General, LFV

International Aerospace Conference Closing remark and panel discussion “Sustainable politics for aerospace and research”

Håkan Ekengren, State Secretary to the Minister for Enterprise
Comments by: Marco Brusati, EU; Thomas Allard, DG LFV; Staffan Zackrisson, CEO Volvo Aero

A small state’s contribution to regional and global security – from the present to the future.

“Airpower’s contribution to international security”

Welcome and introduction to the International Air Power Conference.
Chief of Staff Swedish Air Force, Maj Gen Micael Bydén

Welcome and introduction to the International Air Power Conference
Supreme Commander, Swedish Armed Forces, Gen Sverker Göranson

NATO and European contribution to the air operation over Libya 2011.
Lt Gen Bouchard was asked to describe the operation, with emphasis on challenges, capability short falls, and areas of success. Furthermore, how did NATO and EU countries contribute to the operation and how does the General view the possibility and capability of leading and conducting similar aerospace operations globally with a potentially lesser US involvement in future operations.

Czech experiences from air policing over the Baltic States.
Gen. Verner presents yet another perspective on how a small state can contribute to global and regional stability, the Northern European region in particular.

South African experiences of in maintaining regional stability and security from an aerospace perspective.
South Africa is a regional power and Lt Gen Gagiano is asked to speak about how South Africa integrates air power in its foreign and security policy to contribute to regional stability.

“The Future of Regional Security in Europe”

Maj Gen Scott Rice, USAFE.
Maj Gen Rice is asked to provide a perspective on the future role of the US armed forces in enhancing global and regional security, departing from a global outlook but gradually focusing on the North European region with special emphasis on aerospace capabilities.

Air Commodore Ian Paddy Teakle, RAF.
Air Commodore Teakle is asked to provide a British perspective on the future role of the European armed forces in enhancing global and regional security, departing from a global outlook but gradually focusing on the North European region with special emphasis on aerospace capabilities.

Brig Gen Helmut Schütz, Luftwaffe.
Brig Gen Schütz is asked to provide a German perspective on the future role of the European armed forces in enhancing global and regional security, departing from a global outlook but gradually focusing on the North European region with special emphasis on aerospace capabilities.

Brig Gen Jean-Luc Crochard, Armée de l´Air.
Brig Gen Crochard is asked to provide a French perspective on the future role of the European armed forces in enhancing global and regional security, departing from a global outlook but gradually focusing on the North European region with special emphasis on aerospace capabilities.

“Space – Emerging policies and future technologies”

Moderador: Ulf Palmnäs, Volvo Aero

EU and ESA – the way forward for European space
Giulio Barbolani di Montauto, European Space Agency

What is the Future of Space in the USA?
John Vilja, Vice President of Strategy, Innovation and Growth, Pratt & Whitney

Launchers – will rockets lift Europe?
Antonio Fabrizi, European Space Agency

Aerospace technology – narrowing the space between companies and universities
Marta-Lena Annti, Luleå University of Technology
Anders Blom, Swedish Defence Research Institute
Eva-Lis Odenberger, IUC Olofström

Why is space an area of priority?
Renata Chlumska, adventurer
Peter Egardt, Chairman of the board, Swedish National Space Board
Betty Malmberg, Member of Parliament – spokeswomen research policy

Summary and closing
Mats Warstedt, Chairman Swedish Aerospace Industries & CEO Ruag Space AB

Innovation Race

O CISB - Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro foi criado pela Saab em maio de 2011 com o objetivo de implementar acordos de cooperação em ciência, inovação e alta tecnologia entre Brasil e Suécia, integrando o maduro e bem sucedido sistema de inovação sueco com o dinâmico sistema de inovação que vem se consolidando no Brasil, além de atrair investimentos e interesse de todo o mundo. Um modelo, fruto da experiência sueca e que pode constituir um dos possíveis caminhos para se repensar o futuro estratégico para a indústria de defesa e aeroespacial no Brasil.

Em tempos de RIO+20, foi extremamente oportuno que entre os dias 28 de maio e 1º de junho, a cidade do Rio de Janeiro fosse palco da Semana da Inovação Brasil-Suécia: Inovação para o Desenvolvimento Sustentável, promovida pela Embaixada da Suécia. O CISB atuou fortemente durante o evento, com subsídios e auxílios para a criação desses projetos de inovação, notadamente dentro da Innovation Race, a corrida da inovação, que realizou-se dentro do contexto desta semana e que teve como objetivo estimular mestrandos e doutorandos a elaborarem projetos e patentes ao longo de três dias.

Ao final dos três dias de trabalhos, o resultado foi a criação de 11 patentes e 21 projetos, que o CISB tem interesse de levar para o mercado, dando o apoio necessário para viabilizá-los. O resultado da Innovation Race no Brasil superou todas as 36 edições anteriores realizadas ao redor do mundo, uma vez que o País foi recordista em número de projetos - 21 em 72 horas. O processo mostrou o potencial enorme da sinergia entre Brasil e Suécia, por unir a criatividade brasileira com a criatividade e disciplina sueca.

O modelo operacional do CISB é inspirado nos mundialmente conhecidos Science Parks Suecos, em que laboratórios de P&D de grandes empresas, universidades, institutos de tecnologia, empreendedores e investidores de capital de risco se encontram em um ambiente propício à colaboração para a inovação. Assim como nos Science Parks Suecos, a equipe do CISB atua como facilitador e gestor dessa rede e ambiente e colaboração.

Flygdag 2012 – Um Show onde Passado e Futuro se encontraram no Presente

O show aéreo Flydag 2012, evento de culminância do Aerospace Forum Sweden, reverenciou o passado agradecendo o legado recebido dos pilotos e caças antecessores o qual resultou no mais recente orgulho da indústria nacional sueca, o caça multifunção GRIPEN, que não decepcionou e demonstrou o porquê de sua reputação de um dos caças mais ágeis da atualidade.

Com a exibição de modelos de 1909, ainda em condição de voo, passando por boa parte das jóias da indústria sueca, e em particular o acervo conduzido pelas habilidosas e experientes mãos dos pilotos da SWEDISH AIR FORCE HISTORIC FLIGHT, o Flydag é quase uma aula sobre o aprendizado e incorporação de tecnologias inovadoras ao longo da história da SAAB e sua importância para o desenvolvimento de uma cultura aeroespacial e de defesa lado a lado com as Forças Armadas da Suécia, isto sem falar do sucesso internacional conquistado pela empresa sueca, que demonstrou a aprovação de seu mais recente caça multifunção, com a presença de operadores do GRIPEN na África do Sul, República Checa, Tailândia, Reino Unido (ETPS), além da Força Aérea do próprio País de origem.

Os esquadrões de asas rotativas demonstraram o alto grau de proficiência das tripulações e as simulações de operações táticas, a perfeita coordenação do emprego dos combatentes no ar e em terra. Pilotos de helicópteros convidados se apresentaram com os Alouette II e Bo 105 (Noruega) e NH90 (Finlândia).

As prodigiosas equipes convidadas contribuíram para o sucesso da festa com belas demonstrações, como por exemplo, as empolgantes apresentações do Lt. Col. Johannes Joubert, no GRIPEN (último lote saído do forno) da Força Aérea da África do Sul, a equipe Baltic Bees, da Letônia, o SU-26 Aerobatics, da Lituânia, o PC-7 Team, da Suiça, e as incríveis garotas a prova de frio e precisos pilotos (como os relógios) do Breitling Wingwalkers, vindos do Reino Unido.

O show contou ainda com a exposição estática de aeronaves, dos pequeninos aviões de treinamento ao gigante C-17 Globemaster III, diferentes no tamanho mais com a mesma simpatia das equipes de recepção aos visitantes. Um show de civilidade, organização e preservação da cultura aeronáutica de um povo.



Outras coberturas especiais


Panorama Haiti

Panorama Haiti

Última atualização 23 OUT, 11:00

MAIS LIDAS

Gripen