COBERTURA ESPECIAL - Guerras Híbridas Latinas - Defesa

18 de Novembro, 2019 - 10:26 ( Brasília )

GHL - Lula quer dialogar com militares

Ex-presidente quer entender a animosidade de setores das Forças Armadas contra ele e o partido

1

Publicado na Coluna de Monica Bergamo, Folha de São Paulo
18 Novembro 2019

Lula quer dialogar com militares ou com interlocutores deles

Ex-presidente quer entender a animosidade de setores das Forças Armadas contra ele e o partido

 

Mônica Bergamo

 
Lula quer dialogar com militares ou com interlocutores deles

Ex-presidente quer entender a animosidade de setores das Forças Armadas contra ele e o partido
 
O ex-presidente Lula quer buscar diálogo com militares ou com interlocutores deles. O petista já na cadeia dizia não entender o que considera nova postura de boa parte das Forças Armadas diante de temas como privatização.

O QUE SERÁ? 

Lula quer entender também a animosidade de setores das Forças Armadas contra ele e o partido.

NA HISTÓRIA 

Na época em que o STF (Supremo Tribunal Federal) votava o habeas corpus em que Lula pedia para não ser preso, em 2018, o então comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, chegou a escrever uma mensagem no Twitter condenando a “impunidade”. E dizendo que os militares estavam atentos “às suas missões institucionais”.

CURVA 

A mensagem foi entendida como tentativa de pressionar o Supremo para que a corte permitisse a prisão de Lula —que acabou ocorrendo.

ESPELHO 

A situação no Chile preocupa o ministro Paulo Guedes, da Economia —especialmente pela reação do presidente Jair Bolsonaro a cada notícia de protestos no país andino.

PULGA 

Bolsonaro tenderia a colocar o pé no freio de propostas liberais mais ousadas no momento, e que têm paralelo com o modelo econômico chileno, considerado exitoso por


Nota DefesaNet


Em uma Série de artigos publicados há duas semanas em vários órgãos da imprensa ficou caracterizado o que DefesaNet chamou de Guerra Híbrida aos Generais (ver abaixo).

Isto teve resposta no dia  12NOV2019, com um artigo do Comandante do Exército:


Gen Ex Leal Pujol - O Exército, a Nação e a República

Foi com o advento da República que o Exército atingiu sua maioridade institucional

Hoje a porta-voz do Partido dos Trabalhadores, jornalista Monica Bergamo, dá uma estocada mais funda e lança o embrião de um processo de desestabilização dentro das Forças Armadas.

A tentativa primeira é de não obstruir dois movimentos do Supremo Tribunal Federal.

1 - Os atos de obtenção dos documentos do COAF, expedidos pelo Ministro Dias Toffoli, em especial após as manifestações populares do fim de semana.

2 - Não impedir a oficialização da atividade de Desinformação (Operação Verdevaldo), que o Ministro Gilmar Mendes conduz no STF. Esta operaçõ tem dois eixos: acuar o Ministério Público Federal e o Sistema Judiciário.  E é Ações fundamentais para anular as sentenças de Lula e em uma tentativa alucinada tentar prender o juiz Sérgio Moro.

Na mesma edição a FSP também publica a matéria sobre a caça aos Generais por João Doria Jr.

GHL - Doria tenta se aproximar de generais, ante desgaste militar com Bolsonaro

Movimento de governador de SP ocorre na esteira da demissão de generais de cargos de destaque do governo federal Link


O Editor 


NOTA DefesaNet 
A Guerra Híbrida aos Generais

 

Em uma sequência de quatro matérias publicadas em O Estado de São Paulo (2), Folha de São Paulo e revista Época  no fim de semana mostram a estratégia da grande imprensa, também chamada de “extrema imprensa” de desacoplar os militares do governo Bolsonaro.

Este movimento é necessário por vários motivos sendo os mais visíveis:

1-    O mais lógico enfraquecer o governo Bolsonaro, e,
2-    Caracterizar os militares, que estão na equipe, como meros fantoches.

Porém, dois objetivos subterrâneos são fundamentais, e nisto a Folha e Grupo Globo apostam e o OESP segue a linha do governador João Dória.

Um de política interna:

Neutralizar os militares e imobilizá-los, sem o que, as próximas ações do STF não poderão avançar: anular as condenações de Lula, encerrar a Lava Jato e tentar prender o juiz Moro e membros da equipe.

E outro mais sutil de geopolítica continental e internacional.

Nas vésperas de receber o XI Reunião dos BRICS um presidente Bolsonaro fraco, seria ótimo para o avanço do processo de desconstrução interno e desequilíbrio da estabilidade continental com o novo Grupo de Puebla e reforçaria as Guerras Hibridas Latinas.

Os quatro artigos publicados  são:

1 - OESP - Novo general Heleno surpreende ala militar Link

Um forte ataque ao General Augusto Heleno, conduzido pela sempre correta jornalista Tânia Monteiro, que surpreendeu os meios militares em Brasília. Publicado no OESP, edição dominical 10NOV2019

 
2 - Época - O declínio dos generais dentro do Palácio do Planalto Link

Extenso artigo inclusive capa da edição de Época classifica os militares como meros serviçais no Palácio do Planalto

3 - Igor Gielow - Preocupado com possível radicalização, Exército ainda vê Bolsonaro e Lula contidos Publicado na Folha e Uol no dia 11NOV2019

Uma tentativa de conter os danos já provocados pelo discurso de Lula ainda em Curitiba, porem depois amplificados em São Bernardo do Campo.

4 - GHL - Generais do governo Bolsonaro revelam o que pensam sobre Chile e Bolívia Link

Seguindo o mesmo caminho do artigo da FSP, Marcelo Godoy, tenta minimizar os danos das falas de Lula e conter os militares na busca de isolar Bolsonaro e enfraquece-lo. Publicado no Estadão 11NOV2019.

A tudo isso o Comandante do Exército Gen Ex Edson Leal Pujol publicou no OESP, em 12NOV2019, seção de Opinião:

Gen Ex Leal Pujol - O Exército, a Nação e a República

Foi com o advento da República que o Exército atingiu sua maioridade institucional Link

 O Editor



Outras coberturas especiais


OTAN

OTAN

Última atualização 06 DEZ, 12:30

MAIS LIDAS

Guerras Híbridas Latinas