COBERTURA ESPECIAL - Guerra Hibrida Brasil - Terrestre

27 de Maio, 2018 - 22:20 ( Brasília )

Gen Ex Mourão - Discorda de ação militar contra o governo

General Mourão repudia ação militar contra governo e diz que população se torna refém das manifestações.



Rubens Valente
Brasília


O general da reserva Antônio Mourão afirmou que a população não pode se tornar refém da greve dos caminhoneirose que não concorda com uma ação militar contra o governo federal para encerrar a crise política. Indagado se há “aproveitadores” pedindo uma ação das Forças Armadas contra o governo, o general disse que sim, “dos dois lados”.

“Tem gente que quer as Forças Armadas incendiando tudo. E a coisa não pode ser assim, não pode ser desse jeito. Não concordo. Soluções dessa natureza a gente sabe como começam e não sabe como terminam. Acho que a coisa tem que ser organizada, concertada. Se o governo não tem condições de governar, vai embora, renuncia. Antecipa as eleições, faz qualquer coisa, mas sai do imobilismo dele”, disse o militar.

“A minha visão é o país. O Brasil não pode se rachar ao meio, ser destruído.” O general disse que é necessário garantir os serviços essenciais no país. A entrevista foi concedida à Folha neste domingo (27). Grupos de manifestantes têm radicalizado o discurso por uma “intervenção militar”, um eufemismo para golpe militar.

“Eu não defendo que o país entre no caos. O país não pode entrar no caos. Não podemos aceitar o caos. Vai ser prejudicial para todos. A partir do momento em que começar o caos, aí entra a violência. E não sabemos como vai terminar isso. Tem que garantir os serviços essenciais. Você [greve] está tornando a população refém. Tem pessoas com filhos em colégios que amanhã não sabem se vão para a escola. É uma situação muito ruim”, disse Mourão.

O militar chamou de “vergonhosa” a convocação feita pela FUP (Federação Única dos Petroleiros) para uma greve de 72 horas nas refinarias de petróleo nesta quarta-feira (30). Disse que a FUP “pega carona” na paralisação dos caminhoneiros. “A FUP é ligada à CUT [Central Única dos Trabalhadores]. Alguém viu a FUP entrar em greve quando se roubou a Petrobras até não poder mais? Não entraram em greve por causa disso, né?”, disse Mourão.

“O que se vê são aproveitadores dos dois lados. Essa questão dos petroleiros é vergonhosa. É a cabeça do sindicato que não representa a pessoa que está suando lá diariamente. Queda do preço da gasolina? Não é assim. Precisamos analisar as coisas”, disse o general.

No ano passado, quando estava na ativa na secretaria de finanças do Comando do Exército, Mourão falou, durante uma palestra em Brasília, em impor uma solução para a crise política no país caso o Judiciário não atuasse. Em março passado, ele passou para a reserva do Exército. Na entrevista neste domingo, Mourão disse que a crise pode ser superada se o governo federal “tomar uma atitude séria”.

“É aquela história, a teoria da bola de neve. O governo deixou a bola de neve aumentar. No primeiro dia ele tinha que ter feito intervenção de uma forma mais coerente, mais específica, mais dura. Você tem que bater dos dois lados, no cravo e na ferradura. Tem que ver o que a turma dos grevistas queria, ver o que era possível ceder, dentro dos preços dos combustíveis, que vinham aí aumentando de forma indefinida. Porque uma coisa é clara, você já viu reduzir preço de combustível?

Quando cai é um, dois centavos. Isso aí é fruto até do monopólio, que te deixa sempre amarrado. É um governo fraco, não tenho mais dúvida nenhuma. O governo está tentando se salvar, vamos dizer, está tentando não ir para a cadeia”, disse Mourão.

Para o general, o governo vive uma crise de “credibilidade, autoridade, confiança”. “O sistema econômico trabalha na confiança. Você tem confiança que os contratos vão ser honrados, que os pagamentos serão efetuados. Quando você perde a confiança, ocorre o que nós estamos vendo. E há muito tempo nós temos falado: nossa infraestrutura, toda baseada no transporte rodoviário, ela nos enfraquece. Vamos lembrar, a primeira greve foi em 1999. Tem quase 20 anos que esse pacote vem se arrastando.”



Outras coberturas especiais


Tank

Tank

Última atualização 20 JUN, 01:30

MAIS LIDAS

Guerra Hibrida Brasil