COBERTURA ESPECIAL - Guerra Hibrida Brasil - Inteligência

12 de Setembro, 2017 - 14:00 ( Brasília )

O quê é Isto Camarada sPUTINik?

A rede "agitprop" Sputnik ligada diretamente ao gabinete do Presidente Vladimir Putin continua com sua Guerra Híbrida ao Brasil.

Nota DefesaNet

Notícias recebidas de Washington, na noite de 12 SET 2017, informam que  haverá uma recepção, organizada pelo Presidente Donald Trump, em Nova York, para os Presidentes Michel Temer (Brasil), Juan Manuel Santos (Colômbia) e Pedro Pablo Kuczynski (Peru) este ainda pendente de confirmação. O evento será na segunda-feira, 18ASET2017.

Cardápio do jantar é a Venezuela. Curiosamente os quatro países que párticipam da AMAZONLOG.

O Editor


Nelson During
Editor-chefe DefesaNet



A rede de propaganda e ações de desestabilização da Federação Russa, é constituída principalmente pelas organizações Rússia Today e a Sputnik.

Ambas recebem semanalmente pautas e como desenvolver pontos de interesse russo diretamente do Kremlin. Inclusive com o chamado “telefone amarelo”, uma linha direta dos editores com o Kremlin.

Nada acontece por acaso nesta rede e portanto sempre é um indicador das intenções do Kremlin, leia-se Vladimir Putin. Para mascarar a real intenção normalmente realizam ações difusas e nem sempre percebidas pelo leitor ocasional. São instrumentos  vitais nas ações contra a Ucrânia e podem ser observadas na Manobra Militar “ZAPAD2017”, 14-20 Setembro 2017.

DefesaNet tem tratado do Conceito Guerra Híbrida onde o domínio da informação e a capacidade de confundir e desinformar são vitais. 


Em duas recentes oportunidades a Sputnik desferiu dois fortes ataques ao Brasil, sendo estes:

1 - “Guerra no Rio? Favelas denunciam 'genocídio da juventude negra' em operações”, publicado 23 agosto 2017, clique na foto abaixo para acessar o artigo, e,


2 – “Um Exterminador do Futuro capaz de matar sua família? Culpe o Brasil”, publicado 09 setembro 2017, matéria republicada abaixo.

 

 Se na primeira há um ataque direto às Forças Armadas Brasileiras, mas podem alegar que são questões de interpretação.
 

 A segunda já não tem interpretação, mas sim desinformação pura. DefesaNet obteve a correspondência do Dr Matthew Rolland, “Permanent Representative in the Conference on Disarmament”, Nações Unidas, Genebra, datada de 06 Junho 2017. (pode ser acessada nesta página via Scribd).

O artigo da Sputnik além do título agressivo, abre com o lead:

”O Brasil está atrasando o debate sobre a regulamentações das armas automáticas de guerra, os chamados "robôs assassinos". Com o encontro marcado para os dias 25 a 29 de agosto foi cancelado por causa de débitos, dos quais o Estado Brasil é 68% responsável.”

 
Em nenhum momento o Dr Matthew menciona o Brasil, e sim a dificuldade de obter os US 516.000, para a conferência, que no dia 22 Maio, tinham disponível U$ 360.000. Exatos 69% do valor e isto por todos os países contratantes para a reunião de 3 dias do “Group of Governmental Experts on Lethal Autonomous Weapons Systems (GGE on LAWS)”,

Como nada acontece por vontade dos editores, então quais, são os alvos de Moscou frente ao Brasil?
 
Podemos avançar alguns pontos:

 

1 – Para contrapor ao refrão “Fora Temer” da esquerda continental, e ofuscar as reuniões dos próprios presidentes Temer e Putin, ao menos em 4 oportunidades, em um ano. Também reuniões de alto-nível como a do ministro Raul Jungmann com o seu contraparte russo, o poderoso Sergei Shoigu, em Moscou, Abril 2017;
 
2 -  A importância da Venezuela para a estratégia russa. Desde que foi oficializado e avança celeremente os preparativos do Exercício Logístico Humanitário, AMAZONLOG, a ser realizado em Tabatinga, Amazonas, com os países: Brasil, Colômbia, e Peru, com os Estados Unidos como convidado, e,

3 - De alguma maneira obter a "Paralisia Estratégica" do Brasil.

 
O receio que o exercício AMAZONLOG sirva para uma futura operação na Venezuela, caso a situação deteriore-se ainda mais e fique incontrolável. Estas ações da Rússia não são acompanhadas de forma sistêmica por nenhum órgão Brasileiro. Aparentemente a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Itamaraty, Palácio do Planalto e Forças Armadas, tratam caso a caso.
 
Às solicitações de informações ao Itamaraty DefesaNet só escutou o silêncio. Ou por desconhecerem o assunto ou não avaliarem o fato como uma nova arma, tanto no campo diplomático como no campo de batalha
 
Isto pode ser avaliado no trabalho do Centro de Estudos Estratégicos do Exército (CEEEx), publicado em 2015.
 

“Dado o relativo desconhecimento sobre o assunto no Brasil, e à necessidade de aprimorar-se o saber acerca das TTP a ele relativos, convém que a Guerra Híbrida seja perscrutada por pesquisadores brasileiros, buscando a perspectiva mais adequada à defesa do País.” Paulo Cesar Leal – Cel R1 -  A GUERRA HÍBRIDA: REFLEXOS PARA O SISTEMA DE DEFESA DO BRASIL, CEEEx.


Nota DefesaNet

Em 2016 o Departamento de Estado Americano excluiu o Brasil da "Declaração Conjunta sobre Exportação e Uso Subsequente de Veículos Aéreos Não Tripulados Armados ou de Ataque”, e por mais de 40 países, dentre os quais não se inclui o Brasil.

Brasil fica fora de declaração americana sobre drones armados Link











Convention Conventional Weapons Chairperson letter_6Jun2017 on Scribd


VEJA MAIS