26 de Fevereiro, 2013 - 10:45 ( Brasília )

Geopolítica

'Joint venture' russo-indiana BrahMos completou 15 anos


Gueorgui Vanetsov

A joint venture russo-indiana BrahMos acaba de celebrar seu aniversário. Há 15 anos, a Rússia e Índia assinaram um acordo de desenvolvimento e produção mista de mísseis, dando início ao projeto de BrahMos.

Na atualidade, o BrahMos é um dos melhores projetos conjuntos da Rússia e da Índia. O míssil de cruzeiro BrahMos é amplamente conhecido por militares do mundo. Sua velocidade do voo ultrapassa em três vezes a velocidade do som. Já se planifica desenvolver mísseis supersônicos, cuja velocidade superará em mais de cinco vezes a velocidade do som.

O míssil é quase imperceptível para radares. Pesa três toneladas e voa numa altitude de 10 a 14 mil metros por uma trajetória mutável. O míssil é capaz de manobrar bruscamente, para subir e imediatamente descer, o que o torna dificilmente atingível. Nos mísseis é aplicado na prática o princípio "Dispare e Esqueça" (Fire and Forget), que permite alcançar alvos com precisão.

Os mísseis BrahMos são produzidos em diferentes modificações. Têm uma alta compatibilidade tecnológica para o baseamento marítimo, submarino, aéreo e costeiro. Diferem do seu antecessor russo, o míssil de cruzeiro Onix, que pode ser baseado só em navios e em terra, mas não pode ser utilizado na aviação. Os indianos conseguiram modificá-lo, projetando sua variante de míssil, que pode ser instalado também em aviões.

Deste modo, o BrahMos foi desenvolvido em resultado da conjugação multilateral de esforços de melhores especialistas da Rússia e da Índia, destaca o diretor do Centro da Análise de Estratégias e de Tecnologias, Ruslan Pukhov:

"Ganharam as duas partes. Ajudamos os indianos a desenvolver o míssil e eles nos ajudaram a aperfeiçoá-lo. Agora a Rússia irá comprar estes mísseis para suas necessidades".

Mísseis BrahMos começaram a entrar nas Forças Armadas da Índia ainda em 2005. O alcance de seu voo, que é limitado para não violar os acordos internacionais sobre a transferência das tecnologias de construção de mísseis, constitui 290 quilômetros. Mas o BrahMos é capaz de transportar uma ogiva de combate de até 300 kg, o que satisfaz a Índia.

Até hoje, já foram efetuados 32 testes de mísseis de baseamento marítimo e terrestre. Assim, em particular, sistemas de mísseis BrahMos são instalados em fragatas indianas Teg (Sabre), Tarkash (Aljava) e Trikand (Arco), construídas na Rússia para a Força Naval da Índia. Os mísseis de baseamento aéreo não foram ensaiados por enquanto. Mas em dezembro do ano passado, a BrahMos e Rosoboronservice assinaram um acordo de modernização de aviões SU-30MKI da Força Aérea da India com o fim de adaptá-los a mísseis de cruzeiro BrahMos.

O comandante e chefe da Força Aérea da Índia, marechal Norman Anil Kumar Browne, declarou dia 19 de fevereiro nas solenidades dedicadas ao 15º aniversário da Jont Venture que o míssil de cruzeiro russo-indiano BrahMos será testado em caças SU-30MKI da Índia até o fim do ano em curso. Como ressaltou a alta patente, "se tal não acontecer, eu me despeço e vou para casa".