21 de Novembro, 2012 - 08:57 ( Brasília )

Geopolítica

Hillary reafirma compromisso dos EUA com Israel


A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou nesta terça-feira, em Jerusalém, antes de se reunir com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que o compromisso dos Estados Unidos com a segurança de Israel é "forte como uma rocha".

Clinton também reforçou que Washington espera uma rápida redução da violência após sete dias de conflito que sacode a já volátil região e agora ameaça se tornar uma crise generalizada. "O compromisso americano com a segurança de Israel é forte como uma rocha e inquebrantável.

É por isso que acredito que é essencial (obter) uma redução da violência em Gaza", afirmou Hillary durante uma breve entrevista coletiva, durante a qual saudou os esforços de mediação egípcios. Clinton realiza um giro regional que a levará na quarta-feira à cidade de Ramallah, na Cisjordânia, e ao Cairo para negociações com o presidente egípcio, Mohamed Mursi.

Sua chegada a Jerusalém coincidiu com especuações de que um anúncio de trégua bilateral estaria em negociação e poderia ocorrer na noite desta terça. Mas Hillary não fez qualquer alusão a um acordo para por um fim às hostilidades e indicou que esperava que as negociações continuassem por alguns dias. "Nos próximos dias, os Estados Unidos trabalharão com seus parceiros aqui em Israel e na região para promover a segurança de Israel, melhorar as condições de vida da população em Gaza e avançar na direção de uma paz global para todos os povos da região", acrescentou Hillary.

Ela também reafirmou a mensagem de Washington de que grande parte do ônus é atribuído à liderança do movimento Hamas, que governa Gaza, oficialmente considerado uma rede terrorista pelos Estados Unidos. "Os ataques de organizações terroristas em Gaza com foguetes contra cidades (israelenses) precisam acabar e uma calma mais ampla precisa ser restaurada", afirmou. "O objetivo precisa ser um resultado duradouro que promova estabilidade regional e melhore a segurança e as aspirações de legitimidade de israelenses e palestinos", acrescentou.

Netanyahu, por sua vez, disse estar pronto para concordar com uma "solução de longo prazo" desde que os ataques com foguetes de Gaza cessem. "Se for possível obter uma solução a longo prazo por meios diplomáticos, eu prefiro. Mas se não for o caso, estou certa de que vocês compreendem que Israel deverá adotar todas as medidas necessárias para defender seu povo", declarou Netanyahu.