13 de Novembro, 2012 - 09:02 ( Brasília )

Geopolítica

Panetta: Petraeus tomou decisão correta ao abandonar CIA


David Petraeus tomou a decisão correta ao renunciar ao cargo de diretor da CIA por ter mantido relação extraconjugal, já que esta posição exige "integridade pessoal", estimou nesta segunda-feira o chefe do Pentágono, Leon Panetta.

Panetta, que dirigiu a Agência Central de Inteligência (CIA) durante dois anos antes de assumir o departamento de Defesa, se disse "muito triste" pelo modo como terminou "uma carreira tão destacada" como a de Petraeus. "Meu coração está, obviamente, com ele e sua família, e acredito que fez o que é certo", revelou Panetta a bordo de um avião militar rumo à Austrália.

"Quando você é diretor da CIA, com todos os desafios que deve enfrentar nesta posição, a integridade pessoal está acima de tudo". Sobre as denúncias de que a Casa Branca ocultou do Congresso a investigação realizada pelo FBI envolvendo e-mails entre Petraeus e sua amante, Panetta admitiu que esta preocupação é válida.

"Como ex-diretor da CIA e por ter trabalhado muito estreitamente com os legisladores das comissões de Inteligência, creio que é preciso garantir que os comitês sejam informados dos problemas que possam afetar a segurança das operações de inteligência".

"É fundamental que a CIA não perca os trilhos como consequência deste escândalo. O trabalho da CIA é absolutamente essencial para nossa segurança nacional (...). Acredito ser muito importante conseguir alguém forte, capaz e dedicado para poder prosseguir com este esforço".

Segundo Steve Boylan, amigo e ex-porta-voz de Petraeus, a relação entre o general e sua biógrafa, Paula Broadwell, começou dois meses após ele assumir o cargo de diretor da CIA, em setembro de 2011, após passar à reserva do Exército, e terminou há quatro meses. ddl/lr