27 de Outubro, 2012 - 12:54 ( Brasília )

Geopolítica

Vietnã recebe o melhor armamento russo

Nos próximos quatro anos, o Vietã passará a ser o principal parceiro da Rússia na Região da Ásia e Pacífico na área da cooperação técnico-militar.

Elena Nikulina

Segundo as previsões do Centro de Análise do Comércio Mundial de Armas (CACMA), no período de 2012 a 2015, o Vietnã ocupará o terceiro lugar na estrutura das exportações militares russas depois da Índia e da Venezuela. No quadriênio anterior, os segundo e terceiro lugares eram ocupados pela Argélia e pela China, respetivamente.

Só nos últimos anos, o Vietnã comprou à Rússia 20 caças Su-30MK2, várias divisões de sistemas de mísseis antiaéreos S-300, um sistema de mísseis móvel costeiro Bastion com míssil anti-navio supersônico de pontaria automática Yakhont e um sistema de mísseis antiaéreos Igla.

Graças às armas russas, o Vietnã está também a reforçar a sua marinha de guerra, o que para o país é muito importante atualmente, num período de agravamento da situação no Mar da China Meridional, disse o responsável pelo CACMA Igor Korotchenko:

“Nos últimos anos, o Vietnã comprou 12 lanchas porta-mísseis Molniya que dispõem de um grande poder de combate e de ataque. A Rússia irá fornecer 2 lanchas e 10 serão fabricadas no Vietnã sob licença. O contrato de fornecimento de 6 submarinos a diesel da classe Kilo-636 tornará o Vietnã num dos líderes na região no que respeita às capacidades da frota de submarinos. Outro contrato marcante foi a assinatura de um acordo sobre a criação de uma empresa mista para o fabrico de mísseis anti-navio do tipo Uran.”

Uma das áreas importantes da cooperação técnica militar russo-vietnamita é a modernização do enorme arsenal de armamento soviético que equipa neste momento o exército vietnamita. Com a modernização, o seu prazo de vida útil pode ser aumentado em 10-15 anos, o que interessa muito o Vietnã.

O Vietnã também tem de modernizar o seu sistema de defesa antiaérea, o que significa que temos pela frente contratos bilionários para o fornecimento de sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e aviões de combate, considera Igor Korotchenko:

“Tudo isso torna o Vietnã em nosso parceiro estável e previsivel. É importante sublinhar que o Vietnã paga por todo o armamento comprado à Rússia com dinheiro vivo, não utilizando quaisquer esquemas de trocas diretas ou de crédito.”

Para o Vietnã é importante receber o melhor armamento russo. Ele está recebendo-o agora e há-de receber no futuro.