11 de Outubro, 2012 - 19:00 ( Brasília )

Geopolítica

Turquia acha munição em avião vindo da Rússia e aumenta tensão com Síria

A decisão da Turquia de interceptar um avião civil que fazia a rota Moscou-Damasco e o encontro de munição e equipamento de defesa de fabricação russa na aeronave aumentou a tensão na região.

"Aviões de passageiros não podem carregar munição e equipamento de defesa", disse o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, nesta quinta-feira. O incidente deteriora ainda mais a situação na região, após vários ataques de forças sírias em território turco.

A Rússia e a Síria reagiram com irritação ao incidente e negaram que houvesse carga ilegal no avião. Ambos os países acusam a Turquia de colocar vidas em perigo.

O carregamento seria destinado ao Ministério de Defesa sírio, segundo as autoridades turcas. O avião, com cerca de 30 passageiros a bordo, havia partido de Moscou, mas foi forçado por jatos turcos a pousar em Ancara.

Teste

Desde o início da revolta contra o presidente da Síria, Bashar al-Assad, no ano passado, a Rússia repetidas vezes se recusou a abandonar seu apoio a Damasco, enquanto o governo turco tem sido um duro crítico do regime sírio.

Segundo o correspondente da BBC na fronteira entre a Síria e a Turquia, James Reynolds, apesar das opiniões opostas, Ancara e Moscou mantiveram uma relação próxima e continuaram a fazer negócios juntos.

Mas esse incidente pode ser o maior teste para suas relações desde que o conflito na Síria começou.

Já havia grande tensão entre a Turquia e a Síria depois que cinco civis turcos moram mortos em um bombardeio na fronteira, na semana passada.

A Turquia revidou o ataque, e na quarta-feira, seu mais alto comandante militar alertou que Ancara iria responder com mais força caso os bombardeios continuassem.

Deterioração

Em outro sinal de deterioração das relações, oficiais turcos revelaram nesta quinta-feira que a Síria interrompeu a compra de eletricidade do país vizinho na semana passada.

Em meio à tensão causada pelo incidente, o ministro dos Transportes sírio, Mahmoud Saeed, chegou a acusar a Turquia de "pirataria aérea" e de quebrar acordos de aviação civil, de acordo com a TV libanesa al-Manar.

A Turquia já impôs um embargo de armas à Síria, e o ministro do Exterior turco, Ahmet Davutoglu, disse que está determinado a interromper qualquer transferência de armas para a Síria pelo espaço aéreo turco.

Davutoglu, disse que não há base para preocupações de segurança e que "foram tomadas todas as medidas para assegurar a segurança de todos os passageiros e atender a suas possíveis necessidades".