06 de Agosto, 2012 - 09:06 ( Brasília )

Geopolítica

Rússia - Forças Armadas são garantia da preservação do Estado


Ilya Kharlamov
Voz da Rússia

Nesta semana, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, visitou a cidade de Severodvinsk, onde efetuou uma reunião sobre a implementação do programa estatal do armamento e também participou das solenidades de início da construção do submarino nuclear de quarta geração.

Na véspera do Dia das Tropas Paraquedistas, o Presidente também visitou uma das unidades de elite do Exército – a 31a Brigada das Tropas Paraquedistas em Ulianovsk.

"Tropas Paraquedistas é a personificação das tradições mais fortes das nossas Forças Armadas,da honra e camaradagem abnegada, salientou Vladimir Putin. Infantaria Paraquedista sempre estava no lugar mais difícil, mostrando a preparação adequada e coragem inigualável. Esta é a base da força de reação rápida da Rússia.

O Estado continuará a desenvolver e fortalecer as tropas aerotransportadas, melhorar as suas capacidades, armar as unidades com equipamentos militares modernos, com sistemas de comunicações, inteligência, gestão e sistemas de aeronaves avançadas".

Vladimir Putin e os representantes das Tropas Paraquedistas reconheceram que soluções integradas para reequipamento destas já trazem resultados positivos. A prova disso foi uma série de exercícios recentes, incluindo os exercícios conjuntos com outros países.

Dois dias antes, o presidente participou no lançamento dos projetos dos submarinos nucleares Borei e Kniaz Vladimir, realizou também uma conferência sobre o reequipamento do exército e marinha. Ele afirmou que até o ano 2020 a Marinha russa terá 51 navios de guerra, 16 submarinos multifuncionais, e oito submarinos de mísseis estratégicos.

"Nós acreditamos, como disse o presidente, que a Rússia precisa manter e reforçar o seu status de uma das principais nações marítimas do mundo. Assim, nossa Marinha deve ter todas as oportunidades para lidar eficazmente com uma série de tarefas. Primeiro, estamos falando sobre o desenvolvimento do componente naval das forças nucleares estratégicas,sobre a participação da frota para garantir a paridade global.

Em segundo lugar - é a formação de grupos marinhos de multiuso que podem vitoriosamente combater as ameaças militares no mar, para garantir a confiabilidade de transporte e a proteção dos navios comerciais, para lutar eficazmente contra a pirataria. Claro, a Marinha – é uma ferramenta para proteger os interesses econômicos nacionais. Em particular, em regiões como o Ártico, onde estão concentrados os ricos recursos biológicos, as reservas de hidrocarbonetos e outros depósitos minerais".

Até o ano de 2020, para a modernização da Marinha temos dedicado cerca de quatro trilhões e meio de rublos (mais de 100 bilhões de euros). E mesmo uma nova onda de crise não vai causar ajustes no programa de rearmamento do exército e da marinha. Isto foi afirmado pelo vice-primeiro-ministro, Dmitri Rogozin. Em sua opinião, da implementação dos programas do Estado não depende apenas a modernização da Marinha, mas também o desenvolvimento de toda a construção naval, bem como o desenvolvimento de indústrias de alta tecnologia.

Em geral, para a reforma e modernização do exército, bem como para as necessidades do complexo militar-industrial da Rússia, até 2020,serão gastos 23 trilhões de rublos (US $ 700 bilhões). Estes são os mais significativos investimentos nas forças armadas e na indústria de defesa durante a última década.

Fonte: Voz da Rússia