18 de Julho, 2012 - 09:18 ( Brasília )

Geopolítica

Kim Jong-un é nomeado marechal e consolida seu poder na Coreia do Norte


O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-um, foi nomeado marechal do Exército, completando seu controle total sobre o Estado e as Forças Armadas do país, reportou nesta quarta-feira a mídia estatal.

"Foi tomada a decisão de outorgar o título de marechal da RPDC (República Popular Democrática de Coreia) a Kim Jong-un, comandante supremo do Exército Popular da Coreia", indicou a agência norte-coreana em um breve comunicado especial.

Nomeado principal responsável da Comissão Nacional de Defesa, primeiro-secretário do Partido dos Trabalhadores e comandante supremo do Exército, entre outros títulos, Kim Jong-un assumiu em apenas quatro meses após a morte de seu pai os cargos que ele demorou três anos para ostentar e que representam o controle do militarizado Estado norte-coreano.

Ontem, o jovem líder norte-coreano promoveu um militar do Exército a vice-marechal, depois de demitir o chefe do Estado-Maior, numa manobra vista pela rival Coreia do Sul como uma tentativa de impor a autoridade dele sobre as Forças Armadas, que há décadas sustenta o regime comunista da família Kim no país asiático.

O regime comunista em Pyongyang nomeou Hyon Yong Chol como vice-marechal do Exército da Coreia do Norte, um dia após o anúncio de que o comandante do Exército, Ri Yong Ho, foi afastado de suas funções. "Hyon Yong Chol recebeu o título de vice-marechal do Exército Popular da Coréia", revelou a agência oficial de notícias norte-coreana em um rápido comunicado. Ri Yong Ho foi destituído de todas as suas funções por razão de saúde, segundo os meios oficiais.

Ri foi um dos principais dirigentes que apoiaram Kim Jong-un durante a transição após a morte, em dezembro passado, de seu pai, Kim Jong-il, que governou a Coreia do Norte durante 17 anos e também tinha a patente de marechal.

Ri era comandante de um dos maiores Exércitos do mundo, com 1,2 milhão de membros em 2009, e este ano foi visto com frequência ao lado de Kim Jong-un durante visitas a bases militares. O vice-marechal era um dos raros membros da mais alta instância do partido único e vice-presidente da Comissão Militar Central, segundo a KCNA.

Com informações da Reuters, AFP e EFE