17 de Junho, 2012 - 05:59 ( Brasília )

Geopolítica

Presidente paraguaio nomeia ministro do Interior e chefe da Policía


O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, empossou neste sábado o novo ministro do Interior e o novo chefe da polícia, depois dos violentos confrontos entre policiais e sem-terras em Curuguaty (250 km a nordeste de Assunção), que, na sexta-feira deixaram 16 mortos.

O ex-procurador-geral do Estado Rubén Candia jurou neste sábado como ministro do Interior do Paraguai, e o delegado Arnaldo Sanabria assumiu como novo chefe da Polícia, um dia depois dos sangrentos confrontos entre policiais e camponeses em Curuguaty (250 km a nordeste), que deixaram 16 mortos.

Candia Amarilla tomou posse do cargo no Palácio de Governo, em um ato presidido pelo presidente Lugo. O chefe de Estado deu posse pouco depois a Ferreira. "As prioridades estão à vista, não precisam de muitos comentários", afirmou Candia em breve declaração aos jornalistas. "Vou exercer o cargo com a lei na mão", enfatizou. Acrescentou como condições para assumir "o cumprimento irrestrito das disposições legais, do estado de Direito e do sistema de convivência".

Candia e Ferreira substituíram os destituídos Carlos Filizzola e Paulino Rojas. Os dois foram apontados como responsáveis pela tragédia pela maioria opositora no Congresso que pediu em plenária seu julgamento político. A medida disposta pelo Executivo busca dessa forma aplacar a ira dos opositores e da opinião pública pelo ocorrido, afirmaram vários analistas políticos.

Os distúrbios começaram quando camponeses sem terra que ocupavam uma fazenda, pertencente ao empresário Blas Riquelme, promoveram uma emboscada contra policiais que se dirigiam ao local para retirá-los, e atacaram os oficiais com armas de fogo, segundo disse Filizzola horas antes de ser divulgada sua destituição como ministro. "Eles dispararam e a polícia teve que responder", explicou o ex-ministro do Interior.

Uma filmagem feita pela polícia, divulgada pela imprensa local, mostra o preciso instante em que um camponês de camisa vermelha aponta a arma para o chefe do Grupo de Operações Especiais, delegado Hervert Lovera. O policial reagiu para desarmá-lo, e o tiroteio foi desencadeado. No mesmo local seis policiais ficaram feridos, segundo fontes oficiais. O tiroteio que sucedeu o incidente durou vários minutos deixando 16 mortos, além de uma centena de feridos, 20 deles em estado grave.

A imprensa local informou sobre o aparecimento de dois novos corpos de sem-terras neste sábado em uma zona florestal que cerca o local dos confrontos.