12 de Junho, 2012 - 05:32 ( Brasília )

Geopolítica

Confirmada a morte em combate do líder da Frente 37 das FARC


Em uma operação conjunta entre o Exército Nacional, a Marinha e a Força Aérea colombiana, foi localizada a estrutura do acampamento da Frente 37 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) no município de Nechí, estado de Antioquia.

Este duro golpe contra a estrutura logística e financeira do “Bloco Caribe” foi desferido como consequência da compilação detalhada de inteligência obtida pela Marinha Nacional, da precisão das aeronaves de combate e reconhecimento da Força Aérea e das operações subsequentes do Exército Nacional do país sul-americano. O Corpo Técnico de Investigações da Promotoria identificou Luis Enrique Benítez Cañola, vulgo “Silvio el Francés”, líder da Frente 37, e Hernando Tique Rodríguez, vulgo “Ulises”, segundo líder da Frente 35, mortos em combate durante a operação.

Até o momento foram confirmadas as mortes em combate de oito indivíduos, três feridos, a apreensão de nove fuzis, uma pistola, equipamentos de campanha, comunicações e uma tonelada de víveres.

Os feridos vinham praticando extorsões contra mineiros e faziam parte da segurança do líder de codinome “Silvio”.

A operação realizada na madrugada de 6 de junho neutraliza uma vez mais a execução do “Plano de retomada dos Montes de María”, ordenado pelo vulgo “Iván Márquez”, quando os redutos das Frentes 35 e 37 se estabeleceram na região sul de Bolívar para reforçar suas finanças, realizar recrutamentos forçados e recuperar a capacidade armada.

Com as operações realizadas pela Força Pública para impedir a execução do “Plano de retomada dos Montes de María” foram neutralizados, um a um, os líderes dessas frentes.

QUEM ERA:

Praticava crimes há 34 anos nesta organização narcoterrorista.

Dedicava-se a obter recursos para apoiar o Bloco Caribe e seus líderes, através de extorsão contra trabalhadores da mineração, comerciantes, fazendeiros da região, cobrança de propina aos plantadores de folha de coca e a realização de sequestros com extorsão.

Participou do sequestro do ex-ministro Fernando Araujo.

A partir de 2010, assumiu a liderança da Frente 37

Tinha contra ele ordem de prisão por rebelião, sequestro com extorsão, tráfico de entorpecentes e extorsão.

Entre as múltiplas ações terroristas de que participou, registram-se:

• O massacre de 13 pessoas em junho de 2001.

• O ataque a um comboio militar de Fuzileiros Navais, que deixou um saldo de 12 militares mortos e nove feridos.

• Atentado terrorista contra unidades da Polícia Nacional, em junho de 2003.

• Em fevereiro de 2008, ordenou a instalação e ativação de um dispositivo explosivo improvisado contra uma torre de interconexão elétrica em Tabacalito.

• Nos anos de 2010 e 2011, foi responsável por vários ataques a tropas do Exército Nacional.