23 de Outubro, 2003 - 13:00 ( Brasília )

Geopolítica

Rumsfeld's war-on-terror memo

E desde 11 de setembro a nova equação estratégica imposta pelo terror está sem resposta à pergunta de Rumsfeld "Are we winning or losing the Global War on Terror?"

Publicado US Today 23 Outubro 2003


Rumsfeld's war-on-terror memo

TO :  Gen. Dick Myers (Chairman of the Joint Chiefs of Staff - General USAF)
          Paul Wolfowitz (Deputy Defense Secretary )
          Gen. Pete Pace (Vice Chairman of the Joint Chiefs of Staff- General US Marine)
          Doug Feith (Defense Undersecretary for Policy)

De:   Donald Rumsfeld

REFERENTE: Guerra Global ao Terrorismo (Global War on Terrorism- GWOT)

As questões que eu fiz essa semana aos comandantes combatentes foram:

Estamos vencendo ou perdendo a Guerra Global ao Terror? (Are we winning or losing the Global War on Terror?)

Está o Departamento da Defesa mudando o suficientemente rápido para enfrentar o novo ambiente de segurança do Século XXI?

Pode uma grande organização transformar-se com rapidez?

Está o Governo dos Estados Unidos mudando com a rapidez necessária?

O Departamento da Defesa (DoD) foi organizado, treinado e equipado para combater grandes exércitos, marinhas e forças aéreas. Se não for possível mudar o Departamento de Defesa com a suficiente rapidez para enfrentar a guerra global ao terror; uma alternativa pode ser modelar uma nova instituição, tanto no DoD ou em outro lugar- um que consiga integrar e focar as capacidades dos diversos departamentos e agências nesse importante problema.

Com respeito ao terrorismo global, os fatos desde 11 Setembro indicam:

Temos resultados misto quanto a Al Qaida, embora tenhamos colocado enorme pressão neles -- sem dúvida, uma boa parte permanece ativa.

O Governo dos Estados Unidos tem feito razoável progresso em capturar ou matar os 55 top da antiga administração iraquiana.

O Governo dos Estados Unidos tem feito menos progressos em destruir o Taliban -- Omar, Hekmatyar, etc.

Com referência a Ansar Al-Islam(1), nós estamos recém começando.

Temos proposto o mix correto de: recompensas, anistia, proteção e confiança nos Estados Unidos?

Necessita o Departamento de Defesa pensar novas maneiras de organizar, treinar, equipar e o enfoque para travar a guerra global ao terror?

São as mudanças que estamos fazendo muito modestas e pouco profundas? Minha impressão é que nós temos feito realmente verdadeiros avanços, embora nós tenhamos avançado em muitos avanços importantes, avanços lógicos na direção correta , mas são eles suficientes?

Hoje não temos meios para avaliar se nós estamos vencendo ou perdendo a guerra global ao terror. Estamos prendendo, matando ou contendo ou dissuadindo mais terroristas a cada dia que as madrassas (2)e os clérigos radicais estejam recrutando, treinando e lançando contra nós?

Necessita os EUA montar um grande plano integrado para conter e próxima geração de terroristas? Estão os EUA colocando pouco esforço e um plano de longo prazo, mas nós estamos fazendo um grande esforço tentando parar os terroristas. O custo-beneficíco é contra nós! Nosso custo são bilhões contra o dos terroristas, que são milhões.

Necessitamos de uma nova organização?

Como faremos para parar aqueles que financiam as escolas "madrassa" radicais?

Estamos em uma situação de que quanto mais duro trabalhamos mais para trás ficamos"?

É claro que a coalizão pode vencer no Afeganistão e no Iraque de uma ou de outra maneira, mas será longa e duro esforço (hard slog).

Necessitará a CIA de uma nova estrutura?

Devemos criar uma fundação privada para atrair as "madrassas" radicais para um curso mais moderado?

O que mais nós devemos considerar?

Estejam preparados para discutir esses pontos em nossa reunião de Sábado ou Segunda.

Obrigado.
Donald Rumsfeld

 

Notas DefesaNet-

1- Grupo terrorista com possível ligação com o Iran
2 -Madrassas -- Escolas islâmicas, acusadas de serem centros de doutrinação e cooptação de futuros terroristas. As Madrassas são em parte financiados pela Arábia Saudita. No Afeganistão, no período do Taliban recebiam todo o financiamento de Riad.


DefesaNet-- O memorando de Rumsfeld " war-on-terror" é uma peça que pode ser lida de várias maneiras. A de seus críticos e inimigos, em especial dentro do próprio Pentágono, é de falência e erros na Guerra ao Terror.

A visão de admiradores e seguidores, é de um administrador que procura colocar as questões para seus administradores, mesmo que sejam duras e antever crises.

De qualquer maneira, o memorando traz algumas perguntas de difíceis respostas, ou até mesmo equacionar um raciocínio claro. É evidente que as reformas propostas no dia 10 de setembro 2001, em discurso que mencionava a burocracia das Forças Armadas como o principal inimigo da América foi atropelado pelos eventos do dia 11 de setembro 2001 .

E desde 11 de setembro a nova equação estratégica imposta pelo terror está sem resposta à pergunta de Rumsfeld "Are we winning or losing the Global War on Terror?"