13 de Abril, 2012 - 10:20 ( Brasília )

Geopolítica

Orçamento de forças afegãs deve sofrer corte após 2014

Exército do Afeganistão deve perder cerca de 230 mil homens depois do fim da missão da Otan no país

O Ministro de Defesa do Afeganistão afirmou que as forças de segurança afegãs poderão sofrer uma redução significativa de cerca de 230 mil homens após o término da missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em 2014. Atualmente, são 352 mil integrantes.

Autoridades afegãs e da aliança internacional concordam que seria imprudente tentar começar a reduzir esse número antes do final de 2014, porque nos próximos meses o número de forças estrangeiras será reduzido e os afegãos irão liderar a defesa de seu país.

O ministro da Defesa, general Abdul Rahim Wardak, ressaltou que as reduções projetadas para depois de 2014 resultam de "um modelo conceitual para fins de planejamento" que determina a existência de uma força policial e de proteção das fronteiras suficiente para defender o Afeganistão. Mas que também deve ser autosustentável futuramente com a diminuição de contribuições estrangeiras.

Ele enfatizou que o tamanho final da força de segurança afegã será determinado de acordo com a sua eficácia no combate à insurgência, e que pode ser retardado ou acelerado, dependendo da segurança que irá se estabelecer no país nos próximos anos.

"Tudo isso será revisado dependendo da realidade no campo de batalha", disse Wardak. As reduções, acrescentou, "serão graduais”."Haverá tempo suficiente para melhorar ainda mais a situação de segurança em nosso país", disse.

Wardak fez as declarações em uma coletiva na Embaixada do Afeganistão em Washington, após ter passado um dia em reuniões no Pentágono, ao lado do general Bismillah Khan Mohammadi, ministro do interior afegão, o secretário americano de Defesa Leon E. Panetta e o general Martin E. Dempsey, presidente da Joint Chiefs of Staff.

À medida que presidentes e primeiros-ministros da Otan se preparam para uma reunião no mês que vem em Chicago, a questão principal é até que ponto a aliança internacional está disposta a financiar uma força de segurança afegã e qual deverá ser seu tamanho.

Quase todo o dinheiro de apoio para as forças afegãs - incluindo o custo dos salários, equipamentos e treinamento - é fornecido por governos estrangeiros.

Hoje, o custo chega a cerca de US$ 7 bilhões por ano, embora esse valor possa enganar, já que inclui a compra de equipamentos sofisticados - como veículos blindados, helicópteros e equipamentos de comunicações - que foi efetuada apenas uma vez.

Autoridades dos Estados Unidos e da Otan reconheceram que a quantidade de dinheiro disponível para as forças de segurança afegãs depois de 2014 deverá cair para cerca de US$ 4,1 bilhões por ano, uma realidade que exigiria uma redução no tamanho do Exército do Afeganistão e de sua força policial.

Por Thom Shanker e Alissa J. Rubin