02 de Abril, 2012 - 11:02 ( Brasília )

Geopolítica

Destróier britânico parte para nova missão no Atlântico Sul


O destróier HMS Dauntless, um dos navios de guerra mais modernos do Reino Unido, zarpará nesta quarta-feira com direção ao Atlântico Sul para realizar "tarefas rotineiras de patrulha", disse à agência EFE um porta-voz do Ministério da Defesa. A ação foi anunciada no dia do aniversário de 30 anos do início da guerra entre Reino Unido e Argentina pelas ilhas Malvinas, de soberania britânica, mas que o país sul-americano reivindica desde 1833.

Guerra das Malvinas completa 30 anos

O HMS Dauntless partirá nesta quarta-feira do porto de Portsmouth, no sul da Inglaterra, para cumprir uma missão que durará seis meses, substituindo outra embarcação britânica, acrescentou o porta-voz de Defesa. O HMS Dauntless passará primeiro pela África do Sul, e uma vez no Atlântico Sul substituirá o Montrose, navio que fazia tarefas de vigilância nas proximidades das ilhas Malvinas. A ação do navio já tinha sido anunciada pelo Reino Unido no fim de janeiro, embora sem a definição de uma data, e foi condenada pelo Governo argentino.

O Reino Unido insistiu que este desdobramento não representa uma militarização do Atlântico Sul, mas faz parte da contínua presença britânica na área. O governo argentino de Cristina Kirchner criticou o envio da embarcação e também a recente presença nas Malvinas do príncipe William, segundo na linha de sucessão ao trono britânico, que considerou uma provocação.

No aniversário de 30 anos da guerra, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, reiterou o compromisso de defender a autodeterminação dos habitantes das Malvinas, cerca de 3 mil. "Há 30 anos, a população das ilhas Falklands (Malvinas) sofreu um ato de agressão que tentava roubar sua liberdade e seu estilo de vida", disse o chefe de Governo conservador.

"Hoje também é um dia de comemoração e reflexão. Um dia para lembrar de todos que perderam a vida no conflito: os membros de nossas forças armadas e também os argentinos que morreram", afirmou. Este aniversário acompanha um aumento da tensão entre a Argentina e o Reino Unido, depois que Buenos Aires intensificou sua reivindicação sobre a soberania das ilhas.