15 de Fevereiro, 2012 - 12:26 ( Brasília )

Geopolítica

Tambores de Guerra - Japão pede a Israel que evite ações militares contra o Irã


O primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, pediu nesta quarta-feira ao ministro de Defesa israelense, Ehud Barak, que seu país se abstenha de empreender ações militares contra o Irã, no meio da crescente tensão com Teerã por seu programa nuclear.

Noda fez este pedido a Barak durante uma reunião realizada em Tóquio, onde o ministro israelense iniciou uma visita de cinco dias durante a qual estão previstas reuniões com representantes dos departamentos de Defesa e Relações Exteriores.

Segundo a agência local "Kyodo", que cita uma fonte de Relações Exteriores, o primeiro-ministro do Japão insistiu a Barak que uma ação militar contra o regime de Teerã seria "extremamente perigosa" e levaria a uma "escalada" da atual situação, e pediu a resolução do assunto com medidas diplomáticas e pacíficas.

Já Barak ressaltou a importância de que a comunidade internacional coopere e tome medidas contundentes contra Teerã, segundo "Kyodo".

A reunião, que se prolongou durante mais de meia hora, aconteceu com a crescente preocupação de que Israel recorra à opção militar contra o Irã por seu programa nuclear.

Assim, Noda insistiu que o Japão compartilha da preocupação da comunidade internacional pelo desenvolvimento nuclear iraniano e continuará com sua política de diálogo unida a medidas de pressão.

Atualmente, o Japão importa do Irã cerca de 10% do petróleo que consome, e o primeiro-ministro indicou a possibilidade de reduzir estas importações enquanto enfrenta a questão nuclear com o Irã de modo pacífico.

Durante o encontro, Noda também transmitiu a Ehud Barak sua consternação pelos recentes ataques aparentemente dirigidos contra diplomatas israelenses em Nova Délhi e Geórgia, que classificou como ações "inaceitáveis".

Já o ministro da Defesa de Israel insistiu que os atentados, assim como as explosões de terça-feira em Bangcoc, são uma violação das "regras da diplomacia".

Tanto Noda quanto Barak expressaram, além disso, seu compromisso de melhorar as relações entre os países, coincidindo com o 60º aniversário do estabelecimento de laços diplomáticos realizado este ano.

Durante sua estadia em Tóquio, Ehud Barak deve se reunir também com o chanceler japonês, Koichiro Gemba, e com o titular da Defesa, Naoki Tanaka, para trocar pontos de vista "sobre relações bilaterais e assuntos regionais", segundo o departamento de Relações Exteriores.