19 de Janeiro, 2012 - 10:42 ( Brasília )

Geopolítica

Argentina contesta acusação de Cameron sobre "colonialismo"


O ministro das Relações Exteriores da Argentina, Héctor Timerman, contestou nesta quarta-feira o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, que acusou Buenos Aires de "colonialismo" por reivindicar a soberania das ilhas Malvinas. "Qualquer país, qualquer povo, que conheça um pouco de colonialismo sabe que a Argentina não é um país colonialista", destacou Timerman em entrevista coletiva em El Salvador.

Na sessão semanal de perguntas na Câmara dos Comuns (câmara baixa do Parlamento britânico) nesta quarta-feira, Cameron havia acusado a Argentina de "colonialismo" pela história reivindicação de Buenos Aires sobre a soberania das Malvinas, dominadas pelo Reino Unido. O ministro do Interior argentino, Florencio Randazzo, expressou também nesta quarta-feira à imprensa em Buenos Aires que as declarações de Cameron "são absolutamente ofensivas".

A Argentina sustenta que o conflito deve ser solucionado por meios pacíficos, ressaltou Timerman, que completou nesta quarta-feira uma visita a El Salvador como parte de uma viagem pela América Central que já incluiu Panamá e Honduras e continuará nesta quinta na Costa Rica. "A Argentina defendeu por décadas que a única maneira de resolver a questão das Malvinas e a questão que reivindicamos desde 1833, quando houve a invasão inglesa, é através do diálogo e da negociação pacífica", manifestou o chanceler argentino.

Ele lembrou que é assim que indicam "11 resoluções da Assembleia Geral das Nações Unidas e mais de 29 declarações do Comitê Antidescolonização das Nações Unidas". "À medida que a Grã-Bretanha conhecer a realidade da América Latina, estaremos mais perto de uma solução", declarou o chanceler, que destacou que a reivindicação argentina se transformou em "uma causa latino-americana".